Pesca ilegal nas Flores motiva requerimento do CDS-PP


 

Luisa Couto   Regional   22 de Dez de 2008, 10:08

É com base no que diz ser “a prática abusiva e ilegal de pesca na costa da ilha  das Flores por embarcações de médio porte, propriedade de armadores de São Miguel” que o deputado do CDS-PP, Paulo Rosa, avança com um requerimento para saber que medidas pensa o Governo Regional tomar para que se faça cumprir a lei, defendendo as águas costeiras das Flores.

É que, segundo o parlamentar,“quando chamada a intervir pela Associação de Pescadores da Ilha das Flores, a Polícia Marítima revelou falta de capacidade operativa devido à escassez de recursos humanos”. Por essa razão, Paulo Rosa questiona ainda o Executivo de Carlos César sobre a data em que o mesmo pretende “dotar a ilha das Flores de serviços adstritos à Inspecção Regional das Pescas, com capacidade para fazer cumprir a lei, na salvaguarda da preservação dos interesses dos pescadores da ilha”.

Segundo requerimento
Para além da questão da pesca, o deputado do CDS-PP subscreve ainda um outro requerimento desta feita sobre a candidatura das Flores a Reserva da Biosfera.
É que o parlamentar centrista tem dúvidas de como se poderá candidatar a ilha das Flores a Reserva da Biosfera perante vários “passivos ambientais” que a ilha ainda detém.
Paulo Rosa  lembra que “alegadamente foi ‘o valor intrínseco dos tesouros ambientais da Ilha das Flores’ a determinar a sua candidatura a Reserva da Biosfera”, mas colocado perante os passivos ambientais questiona “que mecanismos tenciona o Governo Regional accionar para resolver os supracitados passivos ambientais e “quando prevêem ter concluído o processo de resolução dos referidos passivos ambientais”.
A esse nível, o deputado popular fala em “lixeiras a céu aberto,  pneus enterrados em lixeiras e esgotos que desaguam em portos”, casos que, afirma, “foram reconhecidos pelo secretário da tutela aquando do debate do Programa de Governo”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.