Açoriano Oriental
Pelo menos 42 mortos em bombardeamento de escola militar na Líbia

Pelo menos 42 pessoas morreram hoje num bombardeamento atribuído a forças comandadas pelo marechal Jalifa Hafter, homem forte da Líbia, a uma escola militar em Tripoli, disseram fontes citadas pela agência Efe.

article.title

Foto: Amel Pain
Autor: AO Online/ Lusa

Segundo as fontes, o bombardeamento aconteceu ao início da noite na zona de Juhba e admite-se que o número de vítimas seja maior, já que os serviços de socorro e as ambulâncias continuam a trabalhar junto da montanha de escombros.

“Há mortos por todo o lado e muitos feridos. Pedimos à população que ajude, são precisas dádivas de sangue”, disse uma fonte médica citada pela mesma agência de notícias.

Minutos depois do ataque, aviões de combate cedidos pelos Emirados Árabes Unidos às forças de Hafter (LNA) também bombardearam a base aérea de Maitiga, único aeroporto em funcionamento da capital líbia, cercado por militares desde 04 de abril.

Os confrontos armados entre o LNA e as milícias próximas do Governo apoiado pela ONU em Tripoli (GNA) aumentaram de intensidade nos últimos dias, com duros combates à volta do antigo aeroporto internacional da capital, desativado desde 2014 mas de grande valor estratégico para a conquista da cidade.

Segundo o GNA, no último domingo as suas milícias causaram 10 baixas às forças inimigas e destruíram uma dezena de carros blindados, “quatro deles dos Emirados Árabes Unidos”.

Além do apoio aéreo dos Emirados Árabes Unidos, Hafter tem o apoio político, militar e económico da Arábia Saudita, Rússia e França, enquanto que o Governo reconhecido pela ONU é apoiado pelo Catar e pela Turquia, país que aprovou esta semana o envio de mais tropas para Tripoli.

Segundo dados da Missão da ONU na Líbia, UNSMIL, e do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, 283 civis morreram e mais de 360 ficaram feridos na Líbia durante os combates travados em 2019.


Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.