Pedidos de ajuda aumentam

Carregando o video...

 

Nuno Fontes Sousa   Regional   18 de Out de 2012, 11:43

Impacto da crise foi motivo de reflexão, numa iniciativa que assinalou o Dia da Erradicação da Pobreza

“Criei nove filhos e no passado, há cerca de 20 anos atrás, fui mais feliz, pois agora estamos numa crise muito grande, o peixe escasseia, a venda do pescado está fraca e os impostos são elevados”, testemunhou Maria Ferreira, pescadora, de 54 anos, ainda segundo a qual na vila de Rabo de Peixe “são muitos os pescadores que não têm eletricidade em casa porque não ganham o suficiente para pagar a conta, sendo que muitas mães querem alimentar os filhos sem ter como o fazer.”

Maria Ferreira falou assim das dificuldades provocadas pela crise que atualmente se vive, particularmente no setor das Pescas.

A pescadora intervinha quarta-feira à margem de uma campanha sobre o impacto da crise na vida das mulheres, cuja temática central foi a pobreza, uma iniciativa da Marcha Mundial das Mulheres e da UMAR - Açores que serviu para assinalar o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.