PCP questiona Governo sobre destruição de ninhos de cegonhas e milhafres no Mondego


 

AO Online/ Lusa   Nacional   8 de Jun de 2019, 11:41

O PCP anunciou este sábado que solicitou esclarecimentos ao Governo sobre as operações de limpeza conduzidas pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) nas margens do rio Mondego, que estarão a destruir ninhos de cegonhas e milhafres.

Em requerimento enviado ao Ministério do Ambiente e da Transição Energética, o grupo parlamentar comunista pergunta se o Governo está a par desta situação, que ameaça as aves em época de nidificação.

"Tem o Governo conhecimento desta situação? Confirma o Governo que o caderno de encargos não teve em conta procedimentos de salvaguarda de aspetos ecológicos como a época de nidificação", pergunta o PCP no requerimento assinado pela deputada Ângela Moreira.

Os comunistas querem ainda saber "que operações de monitorização da obra tem levado a cabo o Governo" para acompanhar a intervenção da APA.

O grupo parlamentar do PCP refere ter conhecimento de que "vários populares e associações ligadas à conservação da Natureza têm vindo a mostrar preocupações sobre a intervenção da APA", nas margens do Rio Mondego, mais concretamente no Rio Velho.

"As preocupações manifestadas estão ligadas às operações estarem a ser desenvolvidas em plena época de nidificação. Apesar das largas dezenas de ninhos de cegonhas e milhafres visíveis nas árvores das margens, com ovos e crias, prosseguem as operações de corte de árvores com destruição de ninhos", garantem os comunistas.

O PCP refere ainda que as preocupações dos "vários populares e associações estendem-se a toda a biodiversidade de todo o Baixo Mondego, com habitats que albergam espécies vegetais raras a nível nacional e que constituem um importante local de nidificação para um vasto leque de aves".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.