PCP/Açores apela à penalização do PS, PSD e CDS-PP

PCP/Açores apela à penalização do PS, PSD e CDS-PP

 

Lusa/AO online   Regional   23 de Set de 2013, 15:02

O líder do PCP/Açores apelou esta segunda-feira à participação dos açorianos nas eleições autárquicas de domingo e à penalização do PSD, CDS-PP e PS, os partidos dos governos nacional e regional, sublinhando que em causa estão "projetos políticos".

“Se é evidente que estas eleições são muito personalizadas, pela proximidade até das populações com os candidatos, e às vezes estas decisões, nestas eleições, são tomadas pelos afetos, um pouco pela emoção, pela simpatia do candidato, enfim pela imagem que transmite, a verdade é esta: estamos a falar de projetos políticos, não estamos a falar de pessoas”, afirmou Aníbal Pires.

O dirigente comunista, que falava em Ponta Delgada, numa conferência de imprensa com os candidatos da CDU à maior autarquia dos Açores, sublinhou que “aquilo que é para cumprir é o rol de um partido”.

“Vai-se votar no PS, vai-se votar no PSD. E é bom que não nos esqueçamos”, afirmou, lembrando que nos boletins de voto “o que vai estar é o nome a sigla dos partidos” e que a escolha é entre projetos políticos autárquicos.

“E aí sim, deve-se ter em atenção, em nossa opinião, que o PS, o PSD e o CDS-PP, que aparecem por aí nalgumas situações coligados, têm de ser penalizados, porque a responsabilidade pela situação que vivemos todos hoje, mas vivem também as autarquias locais decorre das opções políticas que foram tomadas a nível central relativamente à asfixia do poder local por via financeira, designadamente pela transferência de competências e pelo não acompanhamento do respetivo envelope financeiro”, afirmou.

No caso do PS, Aníbal Pires lembrou que os socialistas estão no Governo dos Açores há 16 anos, exemplificando que há problemas em Ponta Delgada que são responsabilidade do executivo regional e da autarquia, que é gerida pelo PSD.

“Portanto, é fundamental que junto da emoção se racionalize a decisão do voto. É preciso juntar o coração à razão. E olhar e ver os projetos políticos, o que está por detrás daquela imagem“, afirmou.

Aníbal Pires disse ainda que a CDU nos Açores tem como objetivos para estas eleições “o seu crescimento eleitoral, em termos absolutos, mas também em número de eleitos” em câmaras e assembleias municipais e de freguesia.

O dirigente afirmou estar “profundamente convicto de que os eleitores irão dar confiança e mais força à CDU até porque é fundamental que os órgãos autárquicos tenham também pluralidade, que existe noutros órgãos, porque isso só pode resultar em benefício das próprias populações”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.