Passos Coelho e Patrice Trovoada traçam paralelo entre situação financeira de Portugal e São Tomé

 Passos Coelho e Patrice Trovoada traçam paralelo entre situação financeira de Portugal e São Tomé

 

Lusa/Aonline   Nacional   7 de Nov de 2011, 18:19

Os primeiro-ministros de Portugal, Pedro Passos Coelho, e de São Tomé e Príncipe, Patrice Emery Trovoada, traçaram hoje um paralelo entre a situação financeira dos respetivos países, que foi comparada à de um "barco em águas agitadas".

No final de um encontro de mais de uma hora, na residência oficial de São Bento, em Lisboa, Passos Coelho referiu que lhe foi reiterado um convite para visitar São Tomé e Príncipe, adiantando que aceitou esse convite e que "os canais diplomáticos não deixarão de articular quer a oportunidade quer a agenda dessa deslocação".

Por sua vez, em declarações aos jornalistas, Patrice Trovoada assinalou que, apesar das dificuldades, "naquilo que é fundamental, as ações, a presença, a solidariedade de Portugal está garantida: na saúde, na educação e no sistema de justiça" de São Tomé.

Passos Coelho foi o primeiro a comparar as atuais circunstâncias dos dois países, afirmando: "Estamos conjuntamente num barco em águas agitadas, em que precisamos de apresentar resultados aos cidadãos de Portugal, aos cidadãos de São Tomé e Príncipe quanto à estabilização financeira, à redução da dívida e do défice".

Segundo o primeiro-ministro português, "nesses grandes objetivos" Portugal e São Tomé e Príncipe prosseguem "metas que são idênticas" e ambos têm "de estar focados na necessidade de, ao mesmo tempo, ir criando condições para a retoma do crescimento económico, para a criação de emprego e para o investimento".

Em seguida, Patrice Trovoada concordou que ele e Passos Coelho são "dois líderes que estão perante uma situação financeira internacional difícil que obriga a sacrifícios" e que força a escolher, "no meio de tantas prioridades", as que são "verdadeiramente fundamentais", e fez questão de manifestar solidariedade para com "o esforço fundamental do povo português".

O primeiro-ministro de São Tomé acrescentou que "há uma exigência de saneamento económico e financeiro" e "ao nível das políticas públicas é evidente que algumas correções têm de ser feitas, alguns esforços têm de ser produzidos, resultados têm de aparecer".

No seu entender, contudo, "há confiança, porque as políticas são as mais corretas" e vão produzir efeitos "a médio longo prazo".

Passos Coelho apontou a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) como "uma aposta muito importante" para Portugal, mas, no que respeita à cooperação, ressalvou que face às "dificuldades financeiras e económicas" tem de haver maior seleção dos projetos.

O primeiro-ministro português disse ter convidado Patrice Trovoada para fazer uma visita oficial a Portugal e considerou "muito útil a troca de impressões" feita neste encontro, no qual também esteve presente o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas.

Patrice Trovoada congratulou-se com o "clima construtivo" e "franco" desta reunião e deixou elogios a Passos Coelho: "Eu fico bastante encantado com este primeiro contacto, penso que de facto nós aqui temos um primeiro-ministro que entende perfeitamente de São Tomé e Príncipe, do posicionamento de Portugal em África".

   


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.