Papa indultou o ex-mordomo que divulgou documentos privados

Papa indultou o ex-mordomo que divulgou documentos privados

 

Lusa   Internacional   22 de Dez de 2012, 13:09

O papa Bento XVI perdoou, por ocasião dos indultos de Natal, ao seu ex-mordomo que roubou documentos privados do chefe da igreja católica para os ceder a um jornalista, causando uma das mais graves brechas na segurança do Vaticano.

O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, revelou que Bento XVI visitou Paolo Gabriele, de 46 anos, no quartel da polícia do Vaticano hoje de manhã para lhe dizer que tinha sido perdoado.

Gabriele, conhecido como "Paoletto", foi posteriormente libertado e regressou à sua casa, a poucos metros de onde cumpria a pena.

Lombardi precisou que o ex-mordomo não vai recuperar o seu emprego e deixará de viver no Vaticano.

O ex-mordomo foi preso a 23 de maio, depois da polícia do Vaticano ter encontrado pilhas de documentos papais no seu apartamento na Cidade do Vaticano.

O mordomo do papa foi condenado por roubo agravado por um tribunal do Vaticano a 06 de outubro e foi cumprir a sua sentença de 18 meses no quartel da polícia do Vaticano.

Gabriele disse aos investigadores que enviou os documentos a um jornalista porque pensou que a exposição da "maldade e da corrupção" que existem no Vaticano iria fazer regressar a igreja ao caminho certo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.