PAN/Açores quer esclarecimentos mais precisos sobre interdição da praia de Porto Pim

PAN/Açores quer esclarecimentos mais precisos sobre interdição da praia de Porto Pim

 

Lusa/AO online   Regional   29 de Jul de 2019, 18:41

O PAN/Açores considerou hoje "urgente" que o executivo açoriano e as entidades competentes prestem esclarecimentos mais precisos sobre a deteção de micro-organismos na areia da praia de Porto Pim, na ilha do Faial, que levou à sua interdição.


"Tendo em conta o potencial agravamento da situação, o partido considera necessário e urgente uma resposta esclarecedora relativamente ao desenvolvimento do processo dos estudos e análises realizadas, tudo em bom nome da transparência de informação pública", avançou o PAN – Pessoas-Animais-Natureza, em comunicado de imprensa.

A praia de Porto Pim foi interditada a banhos no passado dia 17, devido à deteção "na areia de micro-organismos" que poderiam "pôr em causa a saúde pública", anunciou na ocasião o Governo Regional dos Açores, liderado pelo socialista Vasco Cordeiro.

A Direção Regional dos Assuntos do Mar disse que contratou o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge para recolher amostras de areia em diversos locais da praia e que os resultados preliminares indicavam a presença de contaminação bacteriológica em algumas zonas do areal.

A entidade revelou ainda que reforçou o sistema de monitorização da qualidade da água da praia de Porto Pim e que seriam recolhidas novas amostras de areia, em parceria com aquele instituto.

O PAN/Açores considerou que as afirmações da delegada de saúde do Faial e do diretor regional dos Assuntos do Mar sobre este caso foram "ambíguas e indefinidas" e que as declarações do diretor regional da Saúde foram "inconclusivas", alegando que a falta de novos esclarecimentos tem feito "aumentar o grau de alarmismo da população residente".

"Os esclarecimentos prestados pelas entidades competentes são imprecisos uma vez que não respondem ou esclarecem sobre o desenvolvimento do processo dos estudos e análises realizados, sobre o perigo que poderá existir na saúde da população nem sobre o risco de impacto ambiental da zona em questão", frisou a dirigente do PAN Sónia Domingos, citada no comunicado.

Nesse sentido, o partido adiantou que já questionou as direções regionais de Saúde, do Ambiente e dos Assuntos do Mar.

"Quando está em causa o impacto na saúde dos frequentadores da referida praia e o elevado risco para o ecossistema envolvente da baía, o PAN/Açores tomará as diligências necessárias com as ferramentas ao seu alcance para que a melhor conduta governativa e recomendável para esta situação seja executada em respeito ao direito de informação por parte da população", lê-se na nota de imprensa.

Também os deputados do PSD/Açores eleitos pela ilha do Faial já tinham questionado o executivo açoriano sobre este caso, num requerimento entregue na Assembleia Legislativa da Região.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.