Açoriano Oriental
Ordem reúne com sindicatos para preparar documento dos enfermeiros das misericórdias e IPSS

A Secção Regional dos Açores da Ordem dos Enfermeiros, reuniu com o Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (SINDEPOR) e com o Sindicato dos Enfermeiros, para a preparação de um documento final a entregar aos representantes das instituições sociais, para posterior discussão e acordo, para a valorização profissional dos enfermeiros das misericórdias e das IPSS

Ordem reúne com sindicatos para preparar documento dos enfermeiros das misericórdias e IPSS

Autor: Susete Rodrigues/AO Online

No entender de Pedro Soares, presidente da Secção dos Açores da Ordem dos Enfermeiros, deve “acontecer um acordo coletivo de trabalho exclusivo para os enfermeiros, principalmente dadas as características ímpares da profissão”, disse citado em nota imprensa, acrescentando que a Ordem dos Enfermeiros, “não se querendo imiscuir nas atividades de foro sindical, não pode não agir quando está em causa a dignidade da profissão”.


Relembrando que há enfermeiros a auferir mensalmente líquido “pouco mais do que o ordenado mínimo nacional”, o presidente da Ordem nos Açores considera, ser “injusto e é claramente um convite à desertificação dos cuidados de enfermagem nestas instituições, como já acontece em algumas”.


Para Pedro Soares, “há a necessidade de as IPSS e misericórdias conseguirem ter condições que vinculem as suas equipas de enfermagem, e se crie condições para se fixarem e desenvolverem, numa área tão importante no sistema regional de saúde como é o social”.


O presidente da Ordem dos Enfermeiros nos Açores, alerta que sem condições atrativas, será “cada vez mais seja difícil atrair enfermeiros e, claro, os cuidados oferecidos a esta população serão de menor qualidade, coisa que não queremos de maneira nenhuma”.


A finalizar Pedro Soares destaca a abertura dos sindicatos, da União Regional das Instituições Particulares de Solidariedade Social dos Açores (URIPSSA) e da União Regional das Misericórdias dos Açores (URMA), no sentido de “todos juntos encontrarmos uma solução viável e justa, apesar das dificuldades atuais. Para nós, é o cumprir de uma promessa em não deixarmos ninguém sozinho e tudo faremos para que alguns bons exemplos que já existem nesta matéria se tornem regra para todos”.


PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados