Antiga Fábrica da Baleia de Porto Pim foi inaugurada há 70 anos


 

Lusa/AO Online   Regional   30 de Ago de 2012, 12:04

A antiga Fábrica da Baleia de Porto Pim, na ilha do Faial, Açores, atualmente transformada em museu da indústria baleeira, celebra na sexta-feira 70 anos de existência, dos quais 30 em laboração, tendo processado 1.940 cachalotes.

Esta antiga unidade industrial, situada no interior da Baía de Porto Pim, mantém a traça original desde a sua construção, que decorreu entre 1940 e 1942, sendo considerada um dos melhores exemplares da extinta indústria baleeira dos Açores.

O espaço, gerido desde 2004 pelo Observatório do Mar dos Açores (OMA), é visitado anualmente por cerca de sete mil pessoas, que ali encontram dados explicativos da história da caça à baleia no arquipélago e da indústria de transformação do cachalote, que teve uma grande importância económica e social na região.

A Fábrica da Baleia de Porto Pim começou a laborar a 31 de agosto de 1942, na altura gerida pela SIMAL - Sociedade Industrial Marítima Açoreana, que se dedicava ao aproveitamento integral da baleia e dos seus derivados.

Durante as cerca de três décadas em que esteve a laborar, esta unidade industrial processou 1.940 cachalotes, que produziram 44 mil bidões de óleo, um dos produtos mais procurados na altura, tendo encerrado as portas em 1974 na sequência do declínio mundial desta indústria.

O imóvel, que esteve praticamente abandonado durante cerca de 15 anos, foi adquirido pelo Governo Regional dos Açores em 1980, mas só duas décadas mais tarde é que recebeu obras de restauro e de beneficiação para acolher o Centro do Mar, inaugurado em 2000.

No seu interior está patente uma exposição permanente com a maquinaria original utilizada nas várias fases de transformação do cachalote e de aproveitamento dos seus derivados, nomeadamente óleo de toucinho e farinhas de carne, ossos e sangue.

As diversas áreas que compõem o imóvel servem de espaço museológico, mas também de palco de diversos eventos, como reuniões, conferências, palestras, exposições e espetáculos de teatro e música.

Para assinalar o 70.º aniversário do início da laboração da antiga fábrica, o OMA vai inaugurar uma exposição com o resultado do concurso multiartes 'Porto Pimtado' e apresentar a segunda edição bilingue do livro 'Darwin nos Açores'.

O 'dia da fábrica', assinalado a 31 de agosto, inclui este ano a atuação do Grupo Folclórico do Salão e da dupla musical 'Os Capotes, sendo as entradas gratuitas durante todo o dia.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.