Nobel da Paz para Al Gore e ONU

Nobel da Paz para Al Gore e ONU

 

Lusa / AO online   Internacional   12 de Out de 2007, 11:24

   O antigo vice-presidente norte-americano Al Gore e o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas foram hoje distinguidos com o prémio Nobel da Paz.

   O presidente da Comissão Europeia felicitou hoje o antigo vice-presidente norte-americano Al Gore e o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU pela atribuição do Nobel da Paz, destacando o trabalho consciencializador e inspirador.

    "Os seus contributos para a prevenção das alterações climáticas ajudaram a uma maior consciencialização em todo o Mundo. O seu trabalho constituiu uma inspiração para os políticos e cidadãos", assinalou José Manuel Durão Barroso, numa declaração divulgada em Bruxelas.

    Sublinhando os compromissos "ambiciosos" assumidos pela União Europeia no campo do combate às alterações climáticas, o presidente da Comissão Europeia apelou a todos os parceiros da UE a "encararem este Prémio Nobel da Paz como um encorajamento para abordar este desafio de uma forma ainda mais imediata e decisiva".

A associação ambientalista Quercus e o especialista em alterações climáticas Filipe Duarte Santos congratularam-se hoje com a atribuição do prémio Nobel da Paz 2007 ao americano Al Gore e ao Painel para Mudanças Climáticas das Nações Unidas.

    "Acho uma boa decisão partilhar o prémio entre o Al-Gore - que, através de um filme [Uma Verdade Inconveniente] e várias conferências, tem chamado a atenção para esta problemática que afecta toda a humanidade - e uma organização tutelada pela ONU que tem produzido documentos de referência sobre as alterações climáticas", afirmou à agência Lusa Filipe Duarte Santos.

    O especialista destacou a "enorme importância" dos documentos que têm sido elaborados pelo painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas (IPCC, na sigla em inglês), feitos por cientistas de todo o mundo.

    "Esses documentos revelam valores de aumento das temperaturas e dos fenómenos extremos [como secas, cheias]. Dados que são suficientes para nos apercebermos de que estamos perante um risco grave que vai afectar milhões de pessoas em todo o mundo.

    Francisco Ferreira, da associação ambientalista Quercus, considera que foi "muito bem atribuído" o Nobel ad Paz: "Estamos a falar do principal problema ambiental, mas também social e económico que temos actualmente. A paz está ameaçada pela mudança climática e isso é muito claro quando temos conflitos que se agravam pelas cheias ou outros fenómenos climáticos, como acontece em partes de África".

    O ambientalista defende que a paz tem de deixar de ser ameaçada, não apenas pelas questões políticas, mas também à custa de se evitar as alterações climáticas.

    "Juntar a informação cientifica [da ONU] com o rosto de alerta para esses dados das alterações climáticas [Al Gore] é uma combinação que nos parece muito importante nesta altura, até como pressão para os países desenvolvidos, como os EUA, tomarem medidas. Estamos num momento muito crucial para decidirem sobre as questões do clima", adiantou Francisco Ferreira.

    A ONU organizou recentemente uma reunião em Washington com chefes de Estado e de Governo para preparar as primeiras negociações sobre o período pós-Quioto, que começam em Dezembro na cimeira de Bali.

    Dois dias depois, a administração Bush (que não retificou o protocolo de Quioto para reduzir a emissão de gases com efeito de estufa) organizou uma reunião sobre o mesmo tema, em Nova Iorque, para a qual convidou os maiores poluidores do mundo, revelando a intenção de manter um processo paralelo ao da ONU, mas recusando as metas de redução de emissões e tornando-as compromissos voluntários dos países.

    Gore, de 59 anos, foi vice-presidente do democrata Bill Clinton, que antecedeu George W.Bush na Presidência dos Estados Unidos, mas ficou conhecido pela sua luta contra o aquecimento global que culminou com um Oscar pelo filme "An Inconvenient Truth" ("Uma verdade Inconveniente"), que revela as causas e traça soluções para aquele problema climático.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.