Médicos cubanos restituem a visão a militar que matou Che Guevara


 

Lusa/AO   Internacional   2 de Out de 2007, 07:20

O militar que executou há 40 anos Che Guevara na selva boliviana acaba de recuperar a vista graças a médicos cubanos do programa Operação Milagre que Havana está a promover na América Latina, noticiou o Granma.
A Operação Milagre é um programa cubano de assistência médica oftalmológica gratuita a pessoas de menos recursos em diversos países da América Latina, tenho já realizado milhares de operações às cataratas.

    O ex-sargento Mario Teran apresentou-se discretamente para ser operado na segunda maior cidade da Bolívia, Santa Cruz, a algumas centenas de quilómetros do local onde, a 9 de Outubro de 1967, executou Che Guevara, com uma rajada de metralhadora, no dia seguinte a este ter sido feito prisioneiro e guardado numa escola.

    A notícia da operação bem-sucedida às cataratas de Teran foi publicada este fim-de-semana em Havana pelo Granma e causou estupefacção no centro médico de Santa Cruz, recentemente inaugurado pelo Presidente boliviano Evo Morales.

    "Ficámos indignados quando soubemos da notícia pela rádio. O tipo evidentemente não se apresentou dizendo que era o assassino de Che Guevara", disse na segunda-feira à AFP Margarita Andreu, directora do centro, onde quatro médicos tratam diariamente de mais de cem doentes.

    "As pessoas que passam aqui nem sempre dão a sua verdadeira identidade, por vezes trazem papéis falsos, mas isso não é problema nosso", explicou a directora.

    Apesar da sua indignação, Margarita Andreu assegura que teria tratado o ex-militar mesmo sabendo a sua identidade. "É nosso dever, nossa obrigação. E, depois, o Che acaba de ganhar outra batalha", comentou.

    Depois da operação, o filho de Teran deslocou-se ao jornal local El Deber (O Dever) testemunhar o seu reconhecimento aos médicos cubanos.

    O Granma comentou: "Agora na reforma, [Teran] poderá apreciar de novo as cores do céu e da floresta, conhecer o sorriso dos seus netos (…). Mas nunca será capaz de ver a diferença entre as ideias que o levaram a assassinar um homem a sangue-frio e as desse homem."
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.