Marco Varela substitui sindicalista Vítor Silva na liderança do PCP nos Açores

Marco Varela substitui sindicalista Vítor Silva na liderança do PCP nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Abr de 2019, 09:21

O militante comunista Marco Varela, de 43 anos, natural de Lisboa, é o novo coordenador do PCP/Açores, substituindo naquelas funções o sindicalista Vítor Silva, que se afasta “por motivos pessoais”, anunciou aquela força política.

O novo responsável pelos comunistas açorianos declarou que o partido pretende acabar com a maioria absoluta do PS nas eleições legislativas regionais dos Açores de 2019, considerando que após o apuramento de resultados se vai “conversar com quem que se tiver que conversar” e “decidir coletivamente se é possível ou não encontrar pontos de convergência que possam beneficiar a região e os açorianos".

Marco Varela, funcionário do PCP e membro do Comité Central, falava na conferência de imprensa, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, na sede do PCP, onde foi apresentado.

“É prematuro estar a dizer se este diálogo vai ser com o PS ou com a direita”, declarou o dirigente comunista, quando confrontado sobre a importação da geringonça, se possível, também com a direita, para os Açores.

O novo líder afirmou encarar as novas funções “sobretudo com tranquilidade, confiança e determinação”, considerando que devido à ação política do PCP foi possível “recuperar salários e direitos” nos últimos Orçamentos do Estado e no da Região Autónoma dos Açores de 2019.

O dirigente colocou-se “ao lado dos trabalhadores” com baixos salários e dos açorianos que pretendem “uma região desenvolvida”, dos jovens que pretendem residir na sua ilha e que têm um emprego precário.

O novo coordenador regional do PCP, que assume funções até à realização do XI Congresso Regional, agendado para o primeiro quadrimestre de 2020, colocou-se ao lado dos produtores de leite que viram agora o preço da matéria-prima ser reduzido em mais um cêntimo por litro, sendo “penalizados por estarem a produzir" em excesso.

Para o dirigente comunista, que reside na ilha do Faial, também os pescadores “não estão a ver o seu peixe ser valorizado como deveria”, enquanto os reformados são confrontados com baixas reformas e pensões que não lhes permitem usufruir na totalidade da região onde vivem.

A eleição do novo coordenador do PCP teve lugar na Direção da Organização da Região Autónoma dos Açores (DORRA)do PCP, mantendo-se o anterior líder como membro deste órgão, para o qual foi eleito em abril de 2016, em congresso.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.