Ambiente

Mais crimes contra o ambiente mas menos infrações no primeiro semestre de 2012

Mais crimes contra o ambiente mas menos infrações no primeiro semestre de 2012

 

Lusa/AO online   Nacional   6 de Ago de 2012, 12:12

A GNR registou no primeiro semestre de 2012 mais crimes contra o ambiente do que no mesmo período do ano passado, a maior parte relacionados com fogos florestais, mas detetou menos infrações ambientais do que no período homólogo.

De acordo com dados do SEPNA - Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR, no primeiro semestre de 2012 a GNR registou 1.314 crimes contra o ambiente, mais 725 do que no mesmo período do ano passado, e 6.143 infrações ambientais, menos 2.427 do que no período homólogo.

A maior parte dos crimes ambientais está relacionada com o incumprimento de normas de prevenção de incêndios florestais, nomeadamente a falta de limpeza de terrenos pelos respetivos proprietários. Devido a estes crimes, no primeiro semestre deste ano, a GNR registou 1.104 detenções (mais 732 do que no primeiro semestre de 2011).

A pesca (87) e a caça (64 casos) são outros casos onde foram registados crimes ambientais.

As principais infrações ambientais registadas pelo SEPNA estão relacionadas com o desrespeito de leis sanitárias (875 casos), embora nos primeiros seis meses deste ano tenham existido menos 1.045 casos registados de incumprimentos destas normas do que no primeiro semestre de 2011.

Na lista das infrações mais cometidas estão também as transgressões relativas a resíduos (com 1.282, menos 148 do que no mesmo período do ano anterior), contra a “flora, reservas, parques e florestas”, com 739 infrações (menos 29), contra o “ordenamento do território” (com 720 infrações, menos 175) e relacionadas com a zona do litoral (216 infrações, mais 71 do que no período homólogo).

O não cumprimento das leis da caça (246 infrações, menos 114) e das normas da pesca (340, mais 82), são outras das infrações assinaladas, assim como a deteção de 140 casos de desrespeito pela convenção que proíbe o comércio internacional de espécies da fauna e da flora selvagem ameaçadas de extinção.

A GNR recebeu ainda 2.276 denúncias através da Linha SOS Ambiente, que resultaram em 802 infrações detetadas.

Em 2011, a Guarda tinha registado um total de 1.559 crimes ambientais, dos quais a maioria relacionada com incêndios (1.090), caça (202) e pesca (108).

As infrações ambientais registadas no ano passado foram de 18.196, sobretudo relativas ao incumprimento de leis sanitárias (3.506), às normas de incêndios florestais (2.981), a resíduos (2.603), ao ordenamento do território (1.648), a águas continentais (1.157) e à “flora, reservas, parques e florestas” (1.265).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.