Lagoa artificial do Corvo visa garantir água à população e agricultura da ilha


 

Lusa/AO online   Regional   18 de Set de 2013, 17:54

A lagoa artificial do Corvo, inaugurada esta quarta-feira, tem capacidade para armazenar 18,5 milhões de litros de água e pretende responder às necessidades de abastecimento da população e agricultores da mais pequena ilha dos Açores.

A nova infraestrutura, inaugurada pelo presidente do Governo Regional dos Açores, foi um investimento da Câmara Municipal de Vila do Corvo, no valor de 700 mil euros, 85 por cento dos quais de fundos comunitários.

Na inauguração, o presidente do Governo açoriano, Vasco Cordeiro, sublinhou a importância deste investimento, que disse denotar "uma visão a longo prazo quanto às necessidades da ilha no abastecimento de água, mas também um bom aproveitamento dos fundos comunitários".

A nova lagoa permite "uma melhoria significativa das condições de abastecimento de água à população da ilha, mas também para o setor agropecuário", com "impacto económico" para o Corvo, afirmou Vasco Cordeiro, citado numa nota oficial do Governo dos Açores.

Vasco Cordeiro garantiu que o seu executivo está determinado em melhorar as condições dos agricultores da região, através de um conjunto de intervenções a efetuar nos próximos anos, ao nível do abastecimento de água e energia elétrica e melhoria da rede de caminhos, que vão beneficiar cerca de 4.400 agricultores.

“Na Carta Regional das Obras Públicas há um investimento previsto superior a 30 milhões de euros nesta legislatura direcionados para a satisfação destas necessidades”, disse.

Vasco Cordeiro adiantou ainda que o executivo açoriano, em cooperação com a autarquia da ilha, está a desenvolver o Plano de Ordenamento Florestal do Baldio do Corvo, que permitirá captar água através da plantação de árvores.

O projeto, da Secretaria Regional dos Recursos Naturais, prevê, num prazo de seis anos, a instalação de 23.270 m de cortinas de abrigo e corredores de proteção à rede hidrográfica, numa área de cerca de 16 hectares.

“Se a ilha do Corvo melhor capacitada estiver nesse domínio, acaba também por melhor se integrar e responder ao esforço coletivo de desenvolvimento de toda a região”, sublinhou Vasco Cordeiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.