Açoriano Oriental
José Manuel Bolieiro diz que "ninguém compreende" números da pobreza na região

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, considerou este domingo que "ninguém compreende" os números de pobreza da região, onde "um terço da população" vive em situação de risco após "quase meio século de autonomia".

article.title

Foto: Pedro Amaral
Autor: AO Online/ Lusa

"Com quase meio século de autonomia e já em pleno terceiro milénio, ninguém compreende que um terço da população açoriana esteja a viver em situação de pobreza. Na próxima década, é ou não desejável e possível aproximar os Açores das melhores médias nacionais? Sim. É desejável e é possível", considerou Bolieiro.

O líder dos sociais-democratas açorianos falava, na Madalena, na ilha do Pico, na sessão de encerramento do 24.º congresso da estrutura.

Para Bolieiro, "é sobretudo com o sucesso na Educação, na Cultura, na Saúde, que verdadeiramente se evita a pobreza", e "é com investimento social que se dignifica e integra os mais pobres".

E concretizou: "Uma sociedade justa não permite que os mais frágeis fiquem para trás. A pobreza e a exclusão social não são realidades novas. O que é novo é que hoje existem recursos suficientes para retirar as pessoas da pobreza e garantir-lhes progresso social".

O PSD/Açores está reunido desde sexta-feira na ilha do Pico, no primeiro encontro magno dos sociais-democratas açorianos sob a liderança de José Manuel Bolieiro e com as eleições regionais deste ano como pano de fundo.

No 24.º congresso do PSD/Açores foram debatidas várias propostas temáticas, bem como a moção global de estratégia "Confiança", apresentada por Bolieiro, eleito presidente em dezembro último.

José Manuel Bolieiro, vice-presidente de Rui Rio na direção nacional do PSD, foi eleito em dezembro líder do PSD/Açores, eleição para a qual era o único candidato, com 98,5% votos.



Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.