Educação

Jaime Silva apela à formação de empresários agrícolas


 

Lusa/AO online   Economia   12 de Set de 2008, 13:02

O ministro da Agricultura, Jaime Silva, classificou a Escola Profissional do Rodo, na Régua, como um estabelecimento “modelo” que vai ajudar a desenvolver a viticultura do Douro e a agricultura portuguesa formando verdadeiros empresários agrícolas.
Jaime Silva foi convidado pela colega da pasta da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, a participar no “Dia do Diploma”, tendo entregue hoje os prémios de mérito às duas melhores alunas do ensino regular e ensino profissional deste estabelecimento de ensino.

    Georgina Quintela, com 18 valores no curso de “Viticultura e Enologia”, e Eva Zério, com 16 em “Ciências e Tecnologia”, foram as alunas que se destacaram no ano 2007/2008 na Escola do Rodo, implantada entre os vinhedos e socalcos da Região Demarcada do Douro.

    “É uma escola modelo onde se começa a sentir a mudança do que nós queremos também para a agricultura portuguesa”, afirmou Jaime Silva, no decorrer da cerimónia.

    O governante defende que o “salto” da agricultura portuguesa só se dará com mais jovens empresários agrícolas e menos jovens agricultores.

    “E esta escola do Rodo está a ajudar a dar esse salto, formando jovens, não apenas do ponto de vista teórico mas com ligação à terra. Onde eles aprendem as técnicas produtivas simples e evoluem para técnicas modernas de produção”, referiu.

    O ministro acrescentou que no Rodo “se está a ajudar a construir esse empreendedorismo que tanta falta faz à agricultura portuguesa”.

    Luís Maduro, presidente do conselho executivo da escola, aproveitou a presença do governante para pedir um “novo tractor” para os trabalhos agrícolas da escola, que faz também produção de vinho do Porto.

    Jaime Silva assegurou que vai oferecer o tractor, mas acrescentou que o estabelecimento de ensino tem também de procurar parcerias com o Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP) e o Centro de Estudos Vinícolas do Douro, ambos com sede na Régua e tutelados pelo ministério da Agricultura.

    “Os alunos poderão também estagiar nos laboratórios do Governo para que possam acompanhar o processo produtivo do vinho pelo outro lado”, salientou.

    Estudam no Rodo cerca de 450 alunos, espalhados por 32 turmas do ensino regular e profissional.

    Por estar implantada na mais antiga região demarcada do mundo - o Douro - a escola tem uma forte vocação para a viticultura e enologia.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.