Irão confirma respeito pelo Tratado de Não Difusão de Armas Nucleares


 

Lusa / AO online   Internacional   4 de Dez de 2007, 16:44

O Irão pretende continuar a cooperação com a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) e confirmou o respeito pelo Tratado de Não Difusão de Armas Nucleares, declarou esta terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov.
Estas declarações foram feitas pelo chefe da diplomacia russa depois de um encontro do presidente da Rússia, Vladimir Putin, com Said Jalili, secretário do Conselho Superior da Segurança Nacional do Irão, que está de visita à capital russa.
"Constatámos a disposição correcta de Teerão de apego à cooperação com a AIEA, o Irão confirmou novamente o seu apego ao Tratado de Não Difusão de Armas Nucleares, o respeito de todos compromissos que advêm da participação no tratado", disse Lavrov.
"Nos tempos mais próximos, o Irão fechará todas as questões não esclarecidas com a AIEA", referiu, frisando que "o trabalho irá continuar".
"Chegámos a um acordo sobre os contactos numa base constante", disse.
"Analisámos a situação na região, no Iraque, no Afeganistão, diferentes aspectos da regularização no Médio Oriente, incluindo a situação nos territórios palestinianos, no Líbano. Confirmámos o interesse do Irão e da Rússia em contribuir para a busca de vias de normalização dessas situações de crise", concluiu Lavrov.
Durante o encontro de Putin com Jalili, que decorreu em Novo-Ogariovo, arredores de Moscovo, o presidente russo declarou que o seu país espera que todos os programas nucleares do Irão sejam transparentes e se desenvolvam sob o controlo da AIEA.
"É agradável constatar os intensos contactos do país (Irão) com a AIEA. Saudamos o alargamento desta cooperação", sublinhou Putin.
"Seria bom que os contactos a todos os níveis entre a Rússia e o Irão fossem intensificados", acrescentou.
"As nossas relações políticas transformam-se em parceria estratégica. Os nossos dirigentes defendem a manutenção de relações estratégicas a longo prazo viradas para o futuro", declarou Said Jalili.
Antes deste encontro, Vladimir Putin manteve uma conversa telefónica com o seu homólogo norte-americano, George W. Bush, durante a qual abordaram o programa nuclear iraniano, a situação no Médio Oriente e os resultados da conferência internacional de Annapolis.
"A conversa, que durou cerca de 40 minutos, realizou-se por iniciativa dos Estados Unidos", disse Serguei Prikhodko, assessor do Presidente da Rússia.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.