Intel lança novo modelo de microprocessador


 

Lusa / AO online   Internacional   12 de Nov de 2007, 11:53

Um novo modelo de microprocessadores da Intel é lançado, usando um moderno processo de produção que permite subir até 40 por cento o número de transístores, aumentando o desempenho e diminuindo o consumo de energia.
O maior construtor do mundo de semicondutores começa a distribuir os 16 microprocessadores, os quais usam novos materiais para conter perdas de energia, destinados a servidores e computadores pessoais para jogos de alta gama.
Os microprocessadores mais complexos hoje lançados têm 820 milhões de transístores, comparados com os 582 milhões de transístores nos mesmos chips construídos usando a actual tecnologia padrão.
Os primeiros chips da Intel, introduzidos no início dos anos 70, tinham apenas 2.300 transístores.
Esta nova tecnologia permite gravar linhas cada vez mais pequenas, tendo cada novo chip uma média de 45 nanómetros, quando os geradores anteriores tinham comparado com os 65.
Um nanómetro é equivalente a uma milionésima parte do milímetro, por exemplo um cabelo humano tem um diâmetro de cerca de 80.000 nanómetros.
Os circuitos mais pequenos permitem colocar mais transístores na mesma lâmina de silicone, o que acelera o desempenho e diminui os custos de produção.
Os transístores nos novos chips são tão pequenos que mais de 30 milhões deles caberiam na cabeça de um alfinete.
Com transístores mais pequenos, a sua quantidade é maior, o processamento de dados é mais rápido e consomem menor quantidade de energia.
Os novos materiais usados pela empresa nos chips ajudam a resolver o problema das perdas de electricidade à medida que os circuitos ficam mais pequenos.
Quanto maior é a perda de electricidade, mais energia é necessária para alimentar o chip, levando ao condicionamento da autonomia dos portáteis.
O lançamento de hoje inclui chips para servidores de 2 a 3.2 gigahertz para os modelos quad-core, os quais têm quatro processadores.
A velocidade relógio para os modelos dual-core, os quais têm dois processadores, vai até aos 3.4 gigahertz.
Os chips para servidores vão ser vendidos desde 120 a 871 euros em quantidades de 1.000, enquanto que os chips para jogos custarão 680 euros nas mesmas quantidades.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.