Açoriano Oriental
Açores/Eleições
Iniciativa Liberal diz que Vasco Cordeiro quer ser "um comandante sozinho"

O líder regional da Iniciativa Liberal nos Açores, Nuno Barata, afirmou que o presidente do PS/Açores "quer ser um comandante sozinho", mas "precisa de muitos imediatos" que chegarão “dos partidos que vão entrar de novo no parlamento".

Iniciativa Liberal diz que Vasco Cordeiro quer ser "um comandante sozinho"

Autor: Lusa/AO Online

"Ao invés de um timoneiro que manda sozinho - que é isso que ele quer fazer, quer ser um comandante sozinho a mandar sozinho - acho que precisa de muitos imediatos no mesmo ponto de comando e esses imediatos vão vir dos partidos que vão entrar de novo no parlamento dos Açores", afirmou Nuno Barata, também cabeça de lista por São Miguel e pelo círculo de compensação nas eleições regionais de domingo.

O candidato falava aos jornalistas após uma visita ao Centro de Saúde da Ribeira Grande, onde se reuniu também com os gestores da Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel, no âmbito da campanha eleitoral.

Nuno Barata criticou "a incompetência" do atual Governo Regional do PS, liderado por Vasco Cordeiro, exemplificando com a situação do setor da saúde.

"A área da saúde nos últimos anos - e isto não tem nada a ver com pandemia, nem com covid, tem a ver com pré-covid - foi uma área onde a dívida da Saudaçor [Sociedade Gestora de Recursos e Equipamentos da Saúde dos Açores] era notícia quase todas as semanas. Houve uma desorçamentação enorme, um desinvestimento enorme em termos de infraestruturas, de meios de diagnóstico e em termos de contratação de pessoal", apontou.

O líder regional disse também que "a incompetência" do executivo regional se revelou "agora nestes últimos oito meses" de pandemia com situações "inadmissíveis", apontando o caso de utentes que "vão fazer testes covid-19 para realizarem exames médicos e ficam à chuva e ao vento à espera” de entrar no hospital de Ponta Delgada, o maior dos Açores.

"Isso não faz qualquer tipo de sentido e, portanto, é incompetência", vincou o candidato, para quem o Governo Regional poderia ter resolvido nestes últimos meses os problemas destas infraestruturas e pensar no inverno.

Porém, acrescentou, "parece que se foi empurrando com a barriga para a frente, arranjando desculpas em cima de desculpas”.

“Não é para isso que certamente o dr. Vasco Cordeiro está a pedir uma maioria absoluta aos açorianos", disse.

O candidato lembrou ainda algumas das propostas do programa eleitoral do partido para a área da saúde, incluindo "a contratação de mais médicos de família para diminuir o rácio de utentes/médico", que "neste momento é de cerca de 1.900, quando deveria passar para cerca de 1.500/1.400".

A Iniciativa Liberal propõe ainda "uma melhoria e um investimento maior ao nível dos meios de diagnóstico” e “uma revisão das tabelas dos protocolos realizados com os privados", para aliviar as listas de espera para cirurgias.

"É bom que os açorianos percebam que ainda há pouco tempo a região cancelou todos os protocolos com os privados para aliviar estas listas de espera e só com a pressão das eleições, e com a pandemia, é que voltou a reativar estes protocolos, quer em termos de cirurgias, quer em termos de meios de diagnóstico", sublinhou Nuno Barata, defendendo ainda a valorização das carreiras.

A Iniciativa Liberal concorre pela primeira vez às regionais dos Açores. No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.