Redução para menos de metade em 2008

Inglaterra vai reduzir tropas no Iraque


 

Lusa / AO online   Internacional   8 de Out de 2007, 16:33

O contingente britânico no Iraque vai ser reduzido em 2008 para menos de metade dos actuais 5.500 soldados, anunciou hoje o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.
    Brown, que falava na Câmara dos Comuns, anunciou também que os iraquianos que trabalhem para o exército britânico no Iraque há mais de doze meses vão poder pedir asilo ao Reino Unido.

    "Prevemos, na próxima primavera, reduzir as tropas britânicas no sul do Iraque a 2.500 homens", disse Brown, no contexto de uma declaração sobre o futuro do Iraque.

    O primeiro-ministro britânico confirmou também a informação que avançou quando da sua visita a Bagdad de que ordenou a redução, já dentro de dois meses, dos actuais 5.500 militares para 4.500, na sequência da conclusão da transferência da autoridade na província de Bassorá (sul) para os iraquianos.

    O processo, disse, vai desenrolar-se "em duas etapas": num primeiro momento, as forças britânicas vão treinar e supervisionar as forças de segurança iraquianas, proteger a fronteira com o Irão e apoiar as tropas locais.

    Numa segunda fase, disse Brown, na próxima primavera, "as forças britânicas vão manter uma capacidade limitada para intervir militarmente, se necessário, sendo a sua prioridade a formação das forças locais".

    Sobre os iraquianos que trabalham com o exército britânico há pelo menos doze meses, Brown ofereceu-lhes ajuda e asilo no Reino Unido.

    "O pessoal que empregamos há mais de doze meses e que termina o seu trabalho pode candidatar-se a um conjunto de contribuições destinadas a apoiar a sua reinstalação noutro ponto do país ou da região ou - no quadro das modalidades conhecidas - à sua admissão no Reino Unido", declarou o primeiro-ministro britânico.

    A oferta britânica estende-se ainda aos profissionais, designadamente intérpretes e tradutores que trabalhem com as forças britânicas desde 2005, que "também podem candidatar-se a estas ajudas".

    Segundo o chefe do governo britânico, o número de iraquianos que cumpre estes critérios é de 450, 200 que já concluíram a sua colaboração com as forças britânicas e mais 250 que continuam no terreno.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.