Horário de verão da ligação marítima entre Flores e Corvo vai ser alargado

Horário de verão da ligação marítima entre Flores e Corvo vai ser alargado

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Mar de 2019, 09:56

O Governo Regional dos Açores anunciou o alargamento do horário de verão da ligação marítima entre as Flores e o Corvo, que passa a funcionar de 01 de junho a 30 de setembro.

O anúncio foi feito na segunda-feira, na reunião do executivo açoriano com o Conselho de Ilha do Corvo, e responde a uma das reivindicações que constavam do memorando do conselho.

Em declarações no final da reunião, o presidente do executivo açoriano explicou que se trata de um “alargamento do período de horário de verão da ligação marítima com a ilha das Flores que passa a funcionar do dia 1 de junho até dia 30 de setembro, quando antes funcionava do dia 23 de junho a dia 9 de setembro, isso significa mais de seis ligações que são promovidas”.

Sobre a melhoria do acesso dos corvinos a consultas de especialidade, Vasco Cordeiro esclareceu que será feita em duas valências: uma primeira que se prende com “o novo modelo de deslocação de especialistas a cada uma das ilhas que não têm essas consultas de especialidade” e outra que passa por um “esforço cada vez maior no sentido de articular bem aquelas que são as situações em que, porventura, um florentino ou um corvino, ou qualquer outro habitante das nossas ilhas, tenha que se deslocar da sua ilha a outra onde pode aceder”.

Este esforço passa por ter em conta as ligações aéreas operadas pela SATA para as ilhas que não têm consultas de especialidade quando são marcadas as consultas, para que os pacientes possam estar deslocados durante o mínimo de tempo possível, um facto que foi salientado pelo presidente do Conselho de Ilha e da Câmara Municipal de Vila do Corvo, José Manuel Silva.

As principais queixas apontadas durante a reunião denunciavam falhas no sistema de transporte marítimo de mercadorias para a ilha, mas Vasco Cordeiro lembrou que “o transporte de mercadoria por via marítima aqui para o Corvo tem uma situação excecional e especializada, que tem a ver com a existência de obrigações de serviço público de transporte marítimo de mercadorias entre as Flores e o Corvo”.

Salientou, também, o “investimento que o próprio Governo Regional fez na criação das condições logísticas, nomeadamente ao nível quer d equipamento portuário, quer de gruas, para acomodar e facilitar essa movimentação de mercadorias entre as Flores e o Corvo”.

As falhas apontadas ”muitas das vezes são questões do campo operacional, e não propriamente questões de ordem política ou técnica naquilo que tem a ver com um modelo de serviço de transporte de mercadoria por via marítima que é melhor do que aquele que existia antes, que serve a economia corvina, serve os corvinos, sem prejuízo, obviamente, dos aperfeiçoamentos”, nos quais o executivo está “empenhado”, afirmou o líder socialista.

No balanço do encontro, José Manuel Silva considerou que “não era muito expectável, não seria muito prático, que as respostas saíssem todas nesta altura. De qualquer forma, das respostas que foram dadas, muitas delas são concretas e objetivas e as outras carecem de alguma apreciação”.

O autarca socialista mostrou-se “satisfeito” com a garantia dada pelo executivo de que o município seria convidado a apresentar candidaturas para no âmbito do plano de apoios PO2020 (Programa Operacional Açores), uma reivindicação que também constava do memorando do Conselho de Ilha, e diz ter vários projetos, dos quais destacou a repavimentação do núcleo antigo da Vila do Corvo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.