Herdade de Cadouços em Abrantes entre os seis melhores produtores de vinho do mundo


 

Lusa / AO online   Economia   15 de Nov de 2009, 12:39

A Herdade de Cadouços obteve em Londres um lugar entre os seis melhores produtores de vinho do mundo, “pela qualidade dos vinhos apresentados e pela inovação do projecto apresentado”, disse à Lusa fonte da empresa.

O “importante reconhecimento internacional” foi obtido em Londres, nos ‘The Wine Inovation Awards’, um concurso mundial que distingue os projectos mais inovadores em todo o mundo, tendo a Herdade de Cadouços, situada em Bemposta, Abrantes, sido o único produtor nacional a conquistar duas medalhas de bronze, com os vinhos tintos ‘Memorium’ e ‘Yes We Can’, e uma menção honrosa, com o vinho tinto ‘Harmony’, na categoria ‘Product Awards’.

Composta por 600 hectares de área e situada a Norte do Ribatejo, a Herdade de Cadouços - Juvenal SA produz vinhos em modo biológico a partir de uma vinha com 52 hectares, tendo o projecto empresarial, que concorreu também na categoria de ‘Business Awards’ obtido ainda um lugar entre os seis “melhores e mais inovadores projectos” para a categoria ‘Cellar Door Operation’, prémio de mérito na inovação dos métodos globais de produção de vinho.

Segundo disse à agência Lusa Ana Cristina Ventura, proprietária do empreendimento, o reconhecimento internacional do projecto eno-turístico implementado desde há dez anos em Bemposta “é muito importante pelas repercussões positivas na imagem e na consolidação do produto”.

“A componente ecológica é a nossa grande bandeira e estes reconhecimentos nacionais e internacionais são muito importantes, para todos os que trabalham diáriamente no projecto, e para os nossos clientes e consumidores, que vêm o vinho que consomem reconhecido e aceite pela qualidade superior”.

“A principal característica dos vinhos aqui produzidos, uma questão muito enfatizada pelo júri do concurso”, segundo acrescentou a responsável, “assenta no facto de não haver qualquer manipulação química e trabalharmos com uma filosofia de preservação exclusiva dos aromas naturais, utilizando rolhas de cortiça natural, proveniente de agricultura em modo biológico, e utilizando rótulos de papel ecológico e tintas vegetais”.

Segundo adiantou à Lusa Ana Ventura, “a questão da utilização das rolhas de cortiça produzidas em modo biológico foi central para que o júri destacasse o projecto Herdade de Cadouços, e os vinhos aqui produzidos, como um dos melhores seis projectos a nível mundial”, acrescentando ser um “orgulho ver referido o nome de Portugal num evento em que estiveram a escrutínio milhares de pessoas e de projectos”.

Na Herdade de Cadouços são hoje produzidas quatro marcas de vinho tinto certificadas pela CVRR, onde o ‘Memorium Natur Reserva Selecção 2007’ pontifica como topo de gama.

A Herdade de Cadouços levou pela primeira vez os seus vinhos a um concurso internacional no passado mês de Outubro, na Alemanha, tendo conquistado uma medalha de prata no ‘MUNDUSVINI’, “o maior evento de degustação de vinhos em todo o mundo”, onde concorreram mais de 5700 vinhos oriundos de 44 diferentes países.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.