Grupo sunita "Soldados de Deus" reinvidicou atentado contra Guardas da Revolução


 

Lusa / AO online   Internacional   18 de Out de 2009, 13:45

O grupo sunita Joundallah (Soldados de Deus) reivindicou o atentado suicida de hoje contra os Guardas da Revolução, força de elite do regime iraniano, que fez cerca de 30 mortos, anunciou a agencia oficial IRNA.

"Nenhum suspeito foi detido, mas o grupo de Abdolmalek Righi assumiu a responsabilidade do acto terrorista", afirmou Mohammad Marzieh, procurador-geral de Zahedan citado pela IRNA.

A mesma fonte indicou que "entre 30 e 35 pessoas, nomeadamente comandantes dos Guardas da Revolução e de chefes tribais", foram mortos no atentado, perpetrado em Pishin na província de Sistan-Baluchistão, perto da fronteira com o Paquistão.

Entretanto, o presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, acusou os Estados Unidos de estarem implicados no atentado.

Para Larijani "o povo iraniano tem razões para não acreditar nas mudanças prometidas pelo Governo norte-americano".

Os Guardas da Revolução foram criados na sequência da revolução islâmica.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.