Açoriano Oriental
Açores/Eleições
"Governo Regional perdeu capacidade negocial na distribuição de fundos europeus"

O presidente do PSD/Açores, José Manuel Bolieiro, acusou, esta terça-feira, o Governo Regional, liderado pelo PS, de estar a “perder capacidade negocial” na distribuição de fundos europeus, afirmando que o primeiro-ministro está de “costas voltadas” para os Açores.

"Governo Regional perdeu capacidade negocial na distribuição de fundos europeus"

Autor: Lusa/AO Online

Segundo o líder dos sociais-democratas na região, a propósito do Plano de Recuperação Europeu, o Governo Regional anunciou que os Açores iriam receber 720 milhões de euros, enquanto “agora o governo da república tornou público que andará à volta dos 590 milhões de euros” a verba destinada à região.

“Há por isso aqui a demonstração que o Governo e a região estão a perder capacidade negocial com o governo da república e que António costa está de costas voltadas para os Açores”, declarou Bolieiro.

O presidente do PSD/Açores defendeu que, no âmbito do “quadro do envelope financeiro destinado a Portugal”, pudessem ser atribuídos “pelo menos mil milhões” à região.

Bolieiro destacou que a queda do PIB do arquipélago previsto pelos parceiros sociais situa-se entre os 10 a 20%, o que poderá representar “800 milhões de euros de quebra na atividade económica”.

“O quadro publicado prevê 10 milhões para a recapitalização do tecido empresarial e, sobretudo, para a atividade económica. É insuficiente e portanto é preciso reverter essa situação”, apontou.

O cabeça de lista do PSD/Açores pelo círculo eleitoral de São Miguel salientou que o PSD vai ser “reivindicativo” para “reforçar” as verbas europeias a fundo perdido.

“O PSD será reivindicativo da reformulação desse projeto e do instrumento de resiliência e da recuperação, que com o quadro anunciado por parte do Governo da República é insuficiente e estranhamente merece apenas o silêncio do Governo Regional”, apontou.

José Manuel Bolieiro também comentou a declarações do presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, que hoje respondeu às críticas de partidos sobre a inclusão nas listas às regionais do rosto da Autoridade de Saúde Regional, dizendo que "ninguém" diz por que é que Tiago Lopes não pode ser candidato.

“A questão é ética. As entidades que são autoridades e que devem ter como principal papel a isenção e a imparcialidade, devem abster-se de participar no combate eleitoral”, afirmou Bolieiro, considerando que Tiago Lopes deveria ter “suspendido” as funções na Autoridade de Saúde Regional.

As legislativas dos Açores decorrem no dia 25, com 13 forças políticas candidatas ao parlamento: PS, PSD, CDS-PP, BE, CDU, PPM, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, Chega, Aliança, MPT e PCTP/MRPP. Estão inscritos para votar 228.999 eleitores.

No arquipélago, onde o PS governa há 24 anos, existe um círculo por cada uma das nove ilhas e um círculo de compensação, que reúne os votos não aproveitados para a eleição de parlamentares nos círculos de ilha.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.