Governo dos Açores usa estudo universitário para combater dependências "ilha a ilha"

Governo dos Açores usa estudo universitário para combater dependências "ilha a ilha"

 

Lusa/AO Online   Regional   20 de Mar de 2019, 17:47

O Governo Regional dos Açores vai implementar medidas específicas para cada ilha para combater as dependências na região, trabalho feito com base num estudo da Universidade dos Açores.

“É um estudo que foi feito em todas as ilhas dos Açores que nos vai dar uma ideia do fenómeno em cada uma das ilhas, porque até agora as estatísticas que temos são regionais e, portanto, vamos poder tomar medidas ilha a ilha, consoante a situação de cada uma das ilhas”, avançou Rui Luís.

O governante falava aos jornalistas em Angra do Heroísmo, à margem de uma reunião do Conselho de Juventude dos Açores, na qual apresentou a estratégia de médio e longo prazo do executivo açoriano de combate às dependências na região.

Segundo Rui Luís, o estudo, que está a ser feito pela Universidade dos Açores, deverá estar concluído “até ao final deste primeiro semestre” e integrará “novas medidas”.

O secretário regional da Saúde sublinhou, no entanto, que a incidência do fenómeno tem vindo a diminuir, de acordo com os dados mais recentes, que resultaram de inquéritos feitos aos jovens nas escolas e no Dia da Defesa Nacional.

“Nós, até há bem pouco tempo, liderávamos a nível nacional este fenómeno das dependências e, fruto com certeza de uma maior consciencialização dos jovens e fruto das campanhas que o Governo tem vindo a fazer, o fenómeno tem vindo a diminuir”, frisou.

Segundo Rui Luís, a estratégia regional de combate às dependências já envolve a comunidade, mas o executivo pretende contar também com a colaboração das associações que integram o Conselho de Juventude dos Açores e que lidam diretamente com os jovens.

O álcool é a principal dependência a afetar a região, seguindo-se o tabaco e as drogas ilícitas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.