Governador do Banco central da China a favor de um dólar forte


 

Lusa / AO online   Economia   19 de Nov de 2007, 10:26

O governador do Banco central da China, Zhou Xiaochuan, manifestou-se a favor de um dólar forte em declarações à imprensa à margem da reunião na Cidade do Cabo de banqueiros centrais de todo o mundo.
"Esperamos ver um dólar forte, apoiamos um dólar forte", declarou Zhou aos jornalistas.

Os comentários surgem três dias depois do secretário norte-americano do Tesouro, Henry Paulson, ter manifestado a convicção de que o dólar ia recuperar, reflectindo "a força a longo prazo" da economia dos Estados Unidos.

O euro recuou para 1,4621 dólares após os comentários de Zhou, contra 1,4650 antes.

Os responsáveis do G-7 (Grupo das sete nações mais industrializadas) têm reforçado as suas pressões sobre Pequim para que permita uma maior apreciação do yuan, partilhando o fardo da depreciação do dólar com outras divisas, como o euro.

A ministra das Finanças de França, Cristina Lagarde disse domingo que o yuan estava a "causar tensões" e o Grupo das 20 nações concordou em pedir mais flexibilidade nas taxas de câmbios das moedas aos países asiáticos, depois de uma reunião nos arredores da Cidade do Cabo.

O presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, indicou que pontos de vista "diferentes" foram expostos nesta reunião do G-20 porque "os países presentes não têm os mesmos interesses".

Zhou rejeitou no entanto a ideia de divergências entre os responsáveis dos bancos centrais sobre o dólar, ao afirmar que as posições foram "próximas umas das outras".
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.