Caso Madeleine

Gonçalo Amaral pede justiça e McCann confiantes no início do julgamento

Gonçalo Amaral pede justiça e McCann confiantes no início do julgamento

 

Lusa / AO online   Nacional   12 de Jan de 2010, 10:28

A providência cautelar da proibição de venda do livro de Gonçalo Amaral “Maddie – A Verdade da Mentira” começou esta terça-feira a ser julgada, com o casal McCann a expressar confiança e o ex-inspector da PJ a pedir “que se faça justiça”.
O julgamento, a decorrer esta terça, quarta e quinta-feira na 7.ª Vara do Tribunal Cível de Lisboa, no Palácio da Justiça, permitirá à defesa de Gonçalo Amaral apresentar oposição à argumentação de Kate e Gerry, que alegam que o livro divulga a tese de envolvimento no desaparecimento da filha, a 03 de Maio de 2007, no Algarve.

Por isso, o casal britânico requereu o procedimento cautelar temporário de retirar o livro do mercado e o vídeo comercializado após um documentário exibido na TVI, que acabou por ser decretado a 09 de Setembro, com carácter provisório.

Kate e Gerry McCann, em Lisboa desde a noite de segunda-feira, entraram no Palácio da Justiça às 09:11, desta feita pela porta principal, quando a 11 de Dezembro, dia em que estava marcada a primeira audiência e que não se realizou devido a doença do advogado de Gonçalo Amaral, entraram pelas traseiras do edifício, pelo acesso reservado a magistrados.

Os pais de Madeleine McCann não acederam parar para falar aos jornalistas portugueses, ingleses, espanhóis e brasileiros. Gerry limitou-se a repetir que estavam “confiantes”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.