Combustíveis

Gasolineiras “até se vão rir” do protesto, dizem associações de taxistas


 

Lusa/AO online   Nacional   26 de Set de 2008, 22:54

As duas associações de taxistas portuguesas recusaram aderir ao protesto da DECO contra o aumento do preço dos combustíveis, agendada para sábado, e a ANTRAL diz mesmo que a acção não terá "qualquer significado". 
"As gasolineiras até se vão rir desta forma de protesto", disse à agência Lusa Florêncio Almeida, presidente da ANTRAL (Associação Nacional dos Transportadores em Automóveis Ligeiros) descartando a possibilidade de os seus associados se juntarem à acção. 
A ANTRAL, fundada em 1976, reúne 10.500 viaturas entre o total dos seus associados.
Para Florêncio Almeida, as gasolineiras sentiriam os efeitos se o protesto fosse "parar os automóveis durante um dia".
O protesto, adiantou, não terá "qualquer significado" pois os automobilistas "vão abastecer hoje e domingo" em vez de ir às bombas no sábado.
Também a Federação Portuguesa do Táxi disse à agência que vai ficar de fora e queixou-se da actuação da DECO no passado. 
"Quando o combustível estava a subir e a implicar os nossos associados, naquele momento a DECO nada fez", afirmou Carlos Ramos, presidente da FPT, associação fundada em 1994 representando cerca de quatro mil táxis entre o total dos associados.
A associação de defesa do consumidor, DECO, organiza sábado uma jornada nacional de protesto contra o preço dos combustíveis, apelando aos consumidores para não abastecerem os veículos durante todo o dia. 
A DECO quer com este protesto que as petrolíferas façam repercutir no preço de venda ao público as reais variações dos preços das matérias-primas.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.