Ensino superior

Estudantes podem deixar de estudar por falta de apoios sociais


 

Lusa/AO online   Nacional   17 de Nov de 2010, 16:22

O presidente da Associação Académica de Coimbra (AAC) afirmou esta quarta-feira que o ensino superior "não é um custo, mas sim um investimento", alertando para a eventualidade de alunos abandonarem os estudos por falta de apoios.
“O ensino superior não é um custo. Para não voltarmos a passar por este tipo de crises, pensamos que deve haver um investimento notório no ensino superior de modo a que haja pessoas mais qualificadas”, defendeu Miguel Portugal aos jornalistas durante a manifestação de estudantes, entre o Marquês do Pombal e o Parlamento, em Lisboa.

O dirigente estudantil criticou o decreto-lei 70/2010, que altera a forma de cálculo da capitação dos agregados familiares, diploma que os estudantes pretendem ver revogado.

“É muitíssimo injusto. A poupança não tem de ser feita à custa dos mais carenciados”, afirmou, numa referência a eventuais cortes na acção social escolar.

Miguel Portugal sublinhou ainda que “existe um conjunto de alunos” que vão ter de sair do sistema de acção social escolar e, por isso, “ver ameaçada a sua frequência no ensino superior”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.