Tecnologia

Eclipses lunares podem causar problemas em sonda lunar chinesa


 

Lusa / AO online   Internacional   30 de Nov de 2007, 16:00

Responsáveis do programa espacial chinês admitem que o satélite Chang E I, o primeiro do país que orbita a Lua, poderá ter problemas de alimentação energética devido aos eclipses lunares em 2008, indica a imprensa.
Os eclipses, um a 21 de Fevereiro e outro em Agosto de 2008, vão deixar a sonda chinesa sem energia solar durante cerca de cinco horas e meia, pelo que os responsáveis do programa estão a investigar como solucionar o problema que pode resultar destes fenómenos, indicou o chefe de desenho do Chang E I, Ye Peijian.

A temperatura no satélite irá descer a 130 graus abaixo de zero e os eclipses são um verdadeiro desafio para o funcionamento de várias peças do equipamento, disse Ye Peijian.

Outro desenhador do satélite, Rao Wei, apelou à calma indicando que a sonda foi testada para fazer frente a esta descida de energia e está dotada de baterias que vão servir de alimentação energética caso seja necessário.

Além disso, durante os eclipses alguns componentes da nave vão ser desligados para poupar energia.

Os eclipses lunares ocorrem quando a Lua, Terra e Sol se alinham, impedindo que os raios solares cheguem ao satélite lunar.

O Chang E I foi lançado a 24 de Outubro da base espacial de Xichang, sudoeste da China, entrou em orbita lunar a 05 de Novembro e as suas primeiras fotos da Lua foram tornadas públicas no passado dia 26 de Novembro pelo primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao.

Baptizado com o nome de uma deusa chinesa, que segundo a lenda viajou à Lua, o aparelho vai examinar o solo lunar e irá elaborar um mapa tridimensional do solo.

Antes de continuar as suas missões lunares, com o segundo envio de sondas lunares em 2012, a China vai lançar em Outubro de 2008 a sua terceira nave tripulada, a Shenzhou VII.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.