Duarte Freitas lamenta "agressividade" do Governo Regional contra oposição e parceiros

Duarte Freitas lamenta "agressividade" do Governo Regional contra oposição e parceiros

 

Lusa/AO online   Regional   11 de Nov de 2013, 16:50

O presidente do PSD/Açores considerou esta segunda-feira que o aumento do desemprego é um dos resultados do primeiro ano de Governo Regional de Vasco Cordeiro, lamentando ainda "a agressividade" com que o executivo ataca oposição e parceiros sociais.

Duarte Freitas falava na abertura das jornadas parlamentares do PSD/Açores, na Ribeira Grande (São Miguel), que até sexta-feira servirão para analisar as propostas de plano anual de investimentos e de orçamento para 2014 entregues pelo Governo Regional no parlamento açoriano.

Sublinhando que este debate dos documentos orçamentais coincide com a divulgação dos números que revelam uma subida da taxa de desemprego nos Açores no terceiro trimestre, Duarte Freitas lamentou aquela que considera ser a atitude atual do executivo açoriano.

“O Governo Regional e o PS, em vez de estarem a trabalhar para resolverem este problema destas vítimas da sua governação, destes mais de 21.500 desempregados, parece que estão preocupados em atacar, com alguma agressividade até, já não só o PSD, mas também todas as oposições e inclusivamente, o que é extraordinário neste momento, até os parceiros sociais”, disse.

O presidente do PSD/Açores considerou que este é um sinal de que os socialistas não sabem como responder ao problema do desemprego e que estão “desorientados”.

“Não é só o PSD que está apreensivo em relação a estes documentos, é a sociedade civil, são todos os parceiros sociais”, acrescentou.

Duarte Freitas assegurou, no entanto, que para o PSD, “mais importante do que responder à retórica agressiva” e “desculpabilizante” dos socialistas, “é tentar encontrar soluções”, prometendo “analisar responsavelmente” os documentos e apresentar propostas alternativas no âmbito do debate parlamentar, marcado para o final do mês.

No orçamento regional para 2013, o PSD absteve-se, dizendo que o executivo de Vasco Cordeiro ficava obrigado a apresentar resultados. Em resposta a uma questão dos jornalistas, Duarte Freitas disse hoje que “esses resultados têm de ser vistos desde já naquilo que se passa em relação ao desemprego” e acrescentou que, no entanto, os sociais-democratas ainda vão estudar o orçamento para 2014 e só depois revelarão o seu sentido de voto.

Questionado sobre propostas do PSD para responder ao problema do desemprego, disse que “não se resolve com o anúncio avulso de medidas diárias”, como faz o vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, mas através de uma “perspetiva global da governação, que não está a ser eficaz e a resolver os problemas dos açorianos”.

Duarte Freitas apontou ainda “contradições” no seio do executivo, a propósito da justificação de Sérgio Ávila para o aumento do desemprego, que atribuiu a um crescimento da população ativa superior ao da criação de postos de trabalho.

“Já não é a primeira vez que o palácio de Santana [sede da presidência do executivo dos Açores] tem de vir em socorrer o palácio da Conceição [da vice-presidência]. […] E infelizmente este PS que é dirigido por Vasco Cordeiro e o Governo, que é dirigido por Sérgio Ávila, têm entrado em contradição demasiadas vezes para o bem dos açorianos”, afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.