"Dois empates em casa foram um desastre", assume Scolari

"Dois empates em casa foram um desastre", assume Scolari

 

Lusa / AO online   Futebol   12 de Out de 2007, 12:37

Os dois empates caseiros consecutivos de Portugal, com Polónia e Sérvia, foram um “desastre”, assumiu hoje o seleccionador português de futebol, o brasileiro Luiz Felipe Scolari, na antevisão ao jogo de sábado no Azerbaijão.
    “Os dois empates foram um desastre, já que tínhamos planeado duas vitórias e empatámos. Foi um desastre para nós e para os nossos adeptos”, disse o técnico “canarinho”.

    Scolari lembrou, no entanto, que houve falta de atenção nesses jogos, pois contra a Polónia (2-2) e Sérvia (1-1) os golos do empate adversários foram apontados aos 87 minutos.

    “O que tem falhado? a atenção. Estivemos na frente do marcador frente a Sérvia e Polónia e não conseguimos manter os dois resultados. Sempre tive um lema comigo: equipa minha não sofre golos nos últimos cinco minutos, sempre marca. E, ultimamente, este lema tem sido ao contrário”, lamentou.

    Luiz Felipe Scolari, ao contrário do que tinha feito na Arménia, desvalorizou o possível mau estado do relvado e explicou não haver já equipas fáceis, em alusão ao Azerbaijão, apesar da diferença das suas selecções no “ranking”.

    “Não sei se se recordam, mas jogámos aqui há anos (04 de Setembro de 1999) e o Fernando Couto foi obrigado a jogar lá na frente na parte final porque Portugal precisava de marcar (empate 1-1, com um golo de Figo, aos 93 minutos)”, lembrou.

    Quanto ao relvado, Scolari foi claro: “não nos podemos queixar. Não é o piso do Dragão ou da Luz, mas não nos podemos lamentar a todo o momento. O relvado está bom e dá para jogar à bola”.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.