Zimbabué

Diplomacia europeia condena novo governo de Mugabe

 Diplomacia europeia condena novo governo de Mugabe

 

Lusa/AOonline   Internacional   13 de Out de 2008, 17:37

A União Europeia (UE) condenou a "decisão unilateral" do Presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, de formar um novo governo, ameaçando o país com novas sanções caso o líder não respeite a partilha de poder com a oposição.
Os ministros dos Negócios Estrangeiros hoje reunidos no Luxemburgo "condenaram a decisão unilateral de começar a formação de um novo governo, que não reúne o consenso de todas as partes", refere a declaração conjunta.

    Os ministros dos 27 admitiram igualmente "estar dispostos a considerar medidas adicionais, no caso do impasse prosseguir na aplicação do acordo assinado a 15 de Setembro de 2008", que determinou a partilha de poder entre Robert Mugabe e o líder da principal força política da oposição zimbabueana, Movimento para a Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai.

    Mugabe, 84 anos, anunciou sábado que ia atribuir unilateralmente ao seu partido, a União Nacional Africana do Zimbabué-Frente Patriótica (ZANU-PF), as principais pastas do executivo (Defesa, Interior, Negócios Estrangeiros e Administração Local), mantendo assim o controlo do exército, da polícia e de outros organismos da segurança.

    Robert Mugabe está no poder há 28 anos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.