Detido outro passageiro num voo entre Amesterdão e Detroit

Detido outro passageiro num voo entre Amesterdão e Detroit

 

Lusa/AO Online   Internacional   28 de Dez de 2009, 07:39

 As autoridades norte-americanas detiveram hoje um passageiro que viajava num voo da Northwest Airlines que fazia a ligação entre Amesterdão e Detroit, a mesma rota em que um cidadão nigeriano tentou detonar explosivos, segundo o canal CNN.

A estação de televisão indicou que o piloto do aparelho pediu aos controladores aéreos para efectuar uma aterragem de emergência devido ao comportamento estranho de um dos passageiros.

Uma porta-voz da Delta Airlines, companhia que detém a Northwest, já confirmou entretanto o incidente.

"Um passageiro levantou a voz e como medida de precaução a tripulação pediu às forças de segurança para irem ao encontro do avião" no solo, afirmou Susan Elliott.

A companhia aérea assegurou ainda que os 246 passageiros a bordo do avião estão bem.

No aeroporto de Detroit foram accionadas todas as medidas de segurança e o aparelho, que acabou por aterrar numa zona remota do aeroporto, foi rodeado pela polícia e bombeiros.

Segundo a CNN, a situação começou quando o passageiro em questão foi chamado à atenção por um elemento da tripulação por ter passado muito tempo dentro da casa de banho, o que provocou uma reacção exagerada da pessoa em causa.

A Casa Branca já anunciou que o Presidente norte-americano, Barack Obama, ainda em férias no Hawai, foi informado deste novo incidente.

Neste momento, todas as bagagens do voo 253 estão a ser examinadas.

As companhias aéreas norte-americanas permanecem em estado de alerta máximo depois do nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, 23 anos, ter tentado detonar um explosivo que transportava colado ao corpo.

Abdulmutallab, que também passou um grande período de tempo dentro da casa de banho, fez sexta-feira a mesma rota e viajou na mesma companhia do incidente de hoje.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.