Emprego

Criação de postos de trabalho continuará "anémica" no curto prazo

Criação de postos de trabalho continuará "anémica" no curto prazo

 

Lusa/AO online   Economia   15 de Set de 2011, 11:10

O desemprego continua reiteradamente elevado nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e a criação de emprego deverá permanecer "anémica" no curto prazo, de acordo com um relatório da organização sobre as previsões económicas.
As previsões mais recentes da OCDE sobre o emprego indicam que terá havido uma diminuição do número de desempregados em meados de 2011 para pouco mais de 44 milhões de pessoas, ainda assim mais de 13 milhões que antes da crise.

A taxa de desemprego da OCDE situou-se nos 8,2 por cento em Julho, representando apenas uma diminuição de 0,6 por cento face ao máximo atingido no pós-guerra de 8,8 por cento em Outubro de 2009.

Alguns países, como a Austrália, Japão, Coreia e Países Baixos, conseguiram conter o aumento do desemprego durante a crise, enquanto a Alemanha até reduziu o desemprego durante a crise.

Contudo, outros, incluindo a Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha, atingiram as taxas de desemprego de dois dígitos, em Julho de 2011. A taxa de desemprego dos Estados Unidos mais do que duplicou para um valor acima dos 9 por cento.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.