Açoriano Oriental
Covid-19: Programa da U.Porto para alunos internacionais pode cobrir até 30% da propina

A Universidade do Porto vai disponibilizar um programa de incentivo financeiro aos estudantes internacionais que tenham concluído o anterior plano de estudos e que, tendo por base o mérito académico, poderá cobrir até 30% do valor da propina anual.

Covid-19: Programa da U.Porto para alunos internacionais pode cobrir até 30% da propina

Autor: AO Online/ Lusa

Segundo a Universidade do Porto (U. Porto), este Programa de Incentivos para Estudantes Internacionais, que entra em vigor no ano letivo de 2020/2021, terá como destinatários os estudantes de grau já inscritos em licenciatura, mestrado integrado e mestrado que concluíram no ano letivo anterior o correspondente ao plano de estudos.

“Estes estudantes poderão candidatar-se a um incentivo financeiro, tendo por critério de seleção o mérito académico, que terá um valor de até 30% da respetiva propina anual”, avançou hoje o gabinete de comunicação da U. Porto, em resposta à Lusa a propósito da nova tipologia de quartos nas residências universitárias no contexto da covid-19.

Devido à pandemia da covid-19 e, tendo por base as orientações definidas pela Direção-Geral de Saúde, os quartos duplos que não garantam uma distância de dois metros entre as cabeceiras têm de passar a ser utilizados por apenas um estudante.

Por forma a “suportar os custos de manutenção do espaço e serviços comuns”, o estudante passa a ficar alojado num quarto individual, bem como a pagar o “valor previsto na tabela de preços”, ou seja, de 175 euros por um quarto duplo para 235 euros por um quarto individual.

Tais valores são “específicos para estudantes internacionais” que frequentam o mestrado, doutoramento e pós-doutoramento, sendo que o valor cobrado aos estudantes bolseiros do Sistema de Ação Social do Ensino Superior, definido pela Assembleia da República para as instituições do Ensino Superior, é de 76,26 euros.

“Contudo, os Serviços de Ação Social de cada universidade podem disponibilizar vagas sobrantes a estudantes não bolseiros”, refere o gabinete de comunicação, acrescentando estar prevista a possibilidade dessas vagas serem ocupadas por estudantes não bolseiros de licenciatura e mestrado integrado, estudantes em mobilidade internacional ou até investigadores e estudantes internacionais de ciclos mais avançados.

“A cada um destes segmentos corresponde um escalão de preços, tendo em conta as condições de cada estudante”, esclarece a U. Porto, que no ano letivo de 2019/2020 teve 144 camas disponíveis para este segmento e das quais 140 foram ocupadas.

Numa carta dirigida ao Provedor do Estudante, a que a Lusa teve acesso, um grupo de estudantes internacionais alojados na residência universitária Alberto Amaral, afirmam que a medida dos Serviços de Ação Social da Universidade do Porto (SASUP) de alteração da tipologia de quarto pecava por “tardia”, considerando-a ainda “improdutiva do ponto de vista de aumento de mensalidade e antidemocrática”.

“Este aumento repentino, onerosa em especial os internacionais, e opõe-se à missão da SASUP em fornecer serviços atrativos e aos economicamente carenciados”, referem os estudantes na missiva.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 832 mil mortos e infetou mais de 24,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.815 pessoas das 57.074 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.