Política

Contrução do Passeio Marítimo das Lajes do Pico custa ao município 1,6 ME a pagar em 20 anos

Contrução do Passeio Marítimo das Lajes do Pico custa ao município 1,6 ME a pagar em 20 anos

 

LUSA/AOnline   Regional   31 de Out de 2011, 16:35

A empresa municipal CulturPico, cujo capital é detido a 100 por cento pela Câmara das Lajes do Pico, vai investir 1,6 milhões de euros na construção de um passeio marítimo, que será pago nos próximos 20 anos.

A obra, cujo concurso foi hoje publicado no Diário da República, é considerada estruturante para o concelho e prevê, além da construção de um passeio junto à orla marítima da vila das Lajes, a criação do Jardim da Baleia, no local onde antes existia o campo de futebol municipal, e a beneficiação das casas dos botes baleeiros.

De acordo com o plano de atividades da CulturPico, esta obra permitirá requalificar "toda a frente marítima" da vila das Lajes, abrangendo uma área onde se inclui o Museu dos Baleeiros, que é o mais visitado dos Açores, um porto de recreio e de pesca, três zonas balneares, as casas dos botes baleeiros, o Forte de Santa Catarina e a antiga Fábrica da Baleia.

A construção do passeio marítimo não se resume, no entanto, à oferta de equipamentos com funções didáticas, lúdicas e de descanso, já que também pretende "potenciar a construção de um novo hotel" nas Lajes do Pico, aumentando a competitividade do sector turístico do concelho.

Para financiar esta obra, que envolve um investimento total de 2,1 milhões de euros, dos quais 600 mil serão financiados através do Instituto do Turismo de Portugal, a CulturPico recorreu a um empréstimo bancário no valor de 1,54 milhões de euros, "cujo serviço da dívida" será assegurado "por um contrato firmado por 20 anos" entre o município das Lajes do Pico e a empresa municipal.

Paralelamente a esta obra, a autarquia pretende definir um plano de reabilitação urbana da vila das Lajes, que poderá incluir benefícios fiscais aos privados detentores de edifícios situados na zona histórica.

Criada para executar projetos de desenvolvimento do concelho e gerir equipamentos públicos, a CulturPico é responsável pela gestão do Forte de Santa Catarina, do Centro de Artes e Ciências (antiga fábrica da baleia), do Campo Municipal de Jogos e ainda da Biblioteca Dias de Melo e do Auditório Municipal.

RF.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.