Consulado em Orlando aguarda luz verde do Departamento de Estado


 

Lusa/AO   Internacional   7 de Nov de 2007, 06:41

A abertura de um escritório consular na cidade de Orlando, na Flórida, aguarda apenas luz verde do Departamento de Estado, disse terça-feira à Lusa uma fonte da Embaixada de Portugal em Washington.
Segundo o conselheiro de imprensa Manuel da Silva Pereira, o pedido já foi feito ao Departamento de Estado há cerca de um mês, esperando-se uma resposta a todo o momento.

    Quando for recebida a luz verde, é iniciado imediatamente o processo de procura de um prédio naquela cidade para sede do escritório consular.

    Segundo Manuel da Silva Pereira, há a convicção de que será cumprido o plano governamental de abrir o escritório consular em Orlando até ao final do ano.

    Paralelamente, e segundo a mesma fonte, a Secretaria de Estado das Comunidades está a analisar potenciais candidatos para as funções de cônsul honorário de Portugal em Miami, também no estado da Flórida, um processo que também deverá estar concluído até ao final do ano.

    As instalações do Consulado Honorário de Portugal em Miami encerraram em 30 de Setembro, na sequência do pedido de demissão apresentado em Julho pelo cônsul honorário Joseph Theriaga.

    A criação de um Escritório Consular em Orlando foi anunciado em 2006 no âmbito de um processo de reestruturação consular a nível mundial e que também previa o encerramento de alguns consulados portugueses nos Estados Unidos.

    Na sequência de várias diligências em que autoridades locais e portugueses das diversas áreas consulares também assumiram um papel de pressão sobre o governo português, foram evitados encerramentos, mas algumas irão baixar de categoria, como será o caso do Consulado Geral de Portugal em Nova Iorque, que passa a escritório consular, e o de Providence, no estado de Rhode Island, que passa a vice-consulado.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.