Construtora ganha prémio com obra na Lagoa


 

Lusa / AO Online   Economia   25 de Out de 2009, 10:15

Uma empresa portuguesa recebeu o prémio 2009 do Instituto Internacional de Reabilitação de Construções em Betão na categoria "longevidade" por uma intervenção, há 10 anos, no silo de cerais da Lagoa, ilha de S. Miguel, anunciou hoje fonte empresarial.

O prémio "excelência" do International Concrete Repair Institute (ICRI) que distinguiu a STAP, entidade executora do empreendimento, e a dona da obra, a Sociedade Açoriana de Sabões, "está para construção civil como os 'Óscares' para o cinema", explicou José Paulo Costa.

O engenheiro que representou a STAP na cerimónia de entrega das distinções de 2009 do ICRI, realizada na última semana nos Estados Unidos, acrescentou, em declarações à Lusa, que ao prémio concorrem anualmente "obras relevantes realizadas nos mais variados pontos do mundo".

Trata-se, por isso, de um galardão que "muito honra" a empresa e a construção civil nacional, referiu.

Na categoria de "longevidade", o"Award of Excellence 2009" do ICRI - uma associação sediada nos Estados Unidos que agrega empresas e profissionais do sector e que tem por objectivo promover a qualidade do restauro, reparação e protecção do betão - distingue intervenções que evidenciem "eficácia e durabilidade".

A obra que a STAP viu premiada visou o restauro de um silo de grandes dimensões construído em 1980, perto da orla marítima.

Realizada em 1999, a intervenção de reabilitação destinou-se a travar o processo de deterioração por corrosão acelerada das armaduras, em resultado da contínua exposição a uma atmosfera carregada de cloretos.

A realização da obra foi precedida de um conjunto de estudos para caracterizar os materiais em presença e os mecanismos de deterioração e de um levantamento das áreas com diferentes graus de deterioração.

Com base nesses estudos, foram analisadas as várias estratégias de intervenção possíveis, tendo-se optado por uma reparação de zonas seleccionadas utilizando betão projectado, por uma aplicação geral de um inibidor de corrosão e de uma pintura de protecção.

Em colaboração com o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), o construtor instalou em zonas representativas um conjunto de sensores destinados a monitorizar a evolução da corrente de corrosão e da resistividade do betão, tendo em vista avaliar o desempenho da construção no pós-intervenção.

Face aos resultados observados, a STAP resolveu candidatar a intervenção aos prémios anuais do IRCI, disse a fonte da empresa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.