Açoriano Oriental
Comerciantes dos Açores querem medidas face a situação "preocupante" no setor

A Câmara do Comércio e Industria de Ponta Delgada (CCIPD) defendeu hoje que "as entidades públicas nacionais, regionais e locais devem tomar medidas" que ajudem o setor, cuja situação "é preocupante" devido a "quebras significativas" em virtude da pandemia.

Comerciantes dos Açores querem medidas face a situação "preocupante" no setor

Autor: Lusa/AO Online

A posição da CCIPD surge num comunicado enviado às redações na sequência de uma reunião, na terça-feira, da Direção e da Comissão Especializada do Comércio com o "objetivo analisar a situação no setor, na atual conjuntura decorrente da pandemia da covid-19".

"A situação no setor foi considerada preocupante, tendo em consideração as repercussões e a quebra significativa que se tem vindo a verificar na procura da generalidade das atividades comerciais e o seu natural impacto negativo na situação financeira das empresas", aponta a CCIPD.

De acordo com a Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada, nos Açores, a quebra está associada, em "especial", à "diminuição muito acentuada do turismo, a redução do rendimento disponível de muitas famílias, a incerteza quanto ao futuro, a organização do trabalho designadamente de entidades públicas, que continuam com muitos trabalhadores em teletrabalho e de serviços públicos com atendimento ao público encerrado ou limitado".

"Todos estes fatores contribuem para uma redução no movimento de circulação de pessoas nos centros das cidades e vilas e para uma menor procura dos clientes do denominado comércio tradicional", lê-se na nota enviada às redações, que destaca "a resiliência do setor".

O setor, "apesar da redução de vendas, tem conseguido manter a sua capacidade de oferta, bem como a opção da generalidade das empresas em manterem os postos de trabalho, aproveitando as medidas públicas disponibilizadas pelos governos da República e regionais, com especial relevo para o 'lay-off' simplificado".

A Direção e a Comissão Especializada do Comércio entendem que "as entidades públicas nacionais, regionais e locais devem tomar medidas que ajudem a dinamizar o setor", nomeadamente a "redução da carga fiscal, em especial no que se refere à taxa máxima do IVA", medida que "reforçaria o rendimento disponível das famílias e também com impactos positivos para as empresas".

A CCIPD defende ainda a "retoma do trabalho presencial para muitos trabalhadores da administração regional e local, bem como reabertura de alguns serviços públicos, medidas que contribuirão para estimular a atividade comercial das cidades e vilas", assim como a "realização de ações de animação, que, respeitando as necessárias medidas de segurança sanitária, possam contribuir para a dinamização e atração de pessoas aos centros urbanos".

Os comerciantes e empresários propõem ainda a "alteração das políticas de estacionamento, no sentido de estimular a procura" do comércio tradicional.

Os Açores registam um total de 157 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se atualmente seis casos positivos ativos, dos quais cinco na ilha de São Miguel e um na ilha das Flores.

Desde o início do surto, registaram-se nos Açores 16 óbitos, tendo regressado a Portugal continental quatro doentes.


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.