Combate à droga falhou, políticas devem privilegiar prevenção

Combate à droga falhou, políticas devem privilegiar prevenção

 

Lusa/AO online   Internacional   25 de Out de 2012, 09:51

A Comissão Mundial para a Luta contra as Drogas, um novo grupo internacional de pressão, considerou quarta-feira que a guerra contra a droga falhou e apelou a políticas orientadas para a prevenção e regulação, noticia a agência AFP.

“A guerra mundial contra as drogas está em vias de propagar a pandemia da sida entre as pessoas que se drogam” e que hesitam em ir procurar tratamento, por receio de serem presas, estima a organização, em comunicado distribuído por ocasião de uma reunião, realizada na Polónia, consagrada ao impacto da droga sobre a saúde pública na Europa de Leste.

“As medidas de repressão e criminalização muito caras, tomadas contra os produtores, os traficantes e os consumidores de drogas ilegais, falharam claramente na redução da oferta e do consumo”, acrescenta-se no texto.

Seguindo a Comissão, a produção mundial de substâncias derivadas do ópio, como a heroína, aumentou em mais de 380 por cento em trinta anos, passando “de mil toneladas em 1980 para mais de 4.800 toneladas em 2010”, apesar de um forte aumento dos meios usados para combater o tráfico de droga.

O antigo presidente colombiano César Gaviria estima que a solução seria “afetar à prevenção o orçamento [antidroga] que os países dedicam às prisões e à polícia”.

Entre os membros da Comissão figuram também ex-presidentes do México e do Brasil e personalidades como o escritor peruano Mário Vargas Llosa e o empresário Richard Branson.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.