Benfica - FC Porto

Clássico' precoce testa arranque de ‘águias’ e ‘dragões’ na Liga

Clássico' precoce testa arranque de ‘águias’ e ‘dragões’ na Liga

 

Lusa/AO Online   Futebol   22 de Ago de 2019, 10:08

Um 'clássico' entre Benfica e FC Porto costuma ter o peso da decisão do título, mas, ao jogar-se este sábado apenas a terceira jornada da I Liga de futebol, marca o teste mais sério ao arranque dos rivais.

O Benfica chega a este duelo na liderança da prova (partilhada com o recém-promovido Famalicão), com seis pontos em dois jogos e um saldo de sete golos marcados e nenhum sofrido, sustentado na goleada caseira (5-0) ao Paços de Ferreira na ronda de abertura e no triunfo seguro (2-0) na visita ao Belenenses SAD na passada jornada.


A este desempenho da equipa comandada pelo treinador Bruno Lage, que continua sem perder em jogos para o campeonato, soma-se ainda a conquista pelos 'encarnados' no início deste mês da Supertaça Cândido de Oliveira, graças a uma goleada sobre o rival Sporting, com nova 'chapa 5' (5-0).


As 'águias' parecem já próximas do 'voo em ritmo cruzeiro' da segunda metade da temporada anterior, apresentando somente duas novidades no 'onze' inicial: o avançado espanhol Raúl de Tomás, contratado neste verão, e o jovem lateral Nuno Tavares, eleito como substituto do lesionado André Almeida. Paralelamente, destaca-se a grande forma dos médios ofensivos Pizzi e Rafa, as principais armas desequilibradoras do ataque do campeão nacional.


Com um percurso bem mais sinuoso nesta trajetória inicial, o FC Porto tem neste duelo a oportunidade de alcançar o rival no topo da classificação e, fundamentalmente, desferir um golpe na confiança e na motivação do Benfica. A formação de Sérgio Conceição soma apenas três pontos, face à 'entrada em falso', derrota 2-1 na visita ao Gil Vicente na ronda inaugural, entretanto corrigida com a goleada (4-0) ao Vitória de Setúbal.


Mais do que a diferença pontual, que pouco significado tem numa fase tão inicial do campeonato, é o surpreendente afastamento dos 'dragões' da Liga dos Campeões, aos pés dos russos do Krasnodar, a sustentar a perceção geral de um momento de menor fulgor dos 'azuis e brancos' em relação ao rival da Luz.


Por outro lado, o FC Porto procura ainda a sua melhor versão depois de ver partir vários titulares do último ano. Casillas (por razões médicas), Felipe, Éder Militão, Herrera, Óliver e Brahimi já não estão entre as escolhas do técnico portista, que vê agora o guardião Marchesin, o regressado Marcano, os médios Luís Diaz, Uribe e Nakajima e o avançado Zé Luís - que já brilhou com um 'hat-trick' aos sadinos - em busca de rotinas com os companheiros.


No 'clássico' número 171 entre os dois 'grandes' para a I Liga, o equilíbrio pende ligeiramente para as cores portistas, com 66 vitórias contra as 57 dos benfiquistas, às quais se juntam ainda 47 empates. A supremacia inverte-se também de forma ligeira nos golos: 265 marcados pelos 'encarnados' e 249 marcados pelos 'azuis e brancos'.


Depois de uma fase recente de maior domínio do FC Porto, que esteve quase quatro anos (sete jogos) sem perder com o rival, o Benfica quebrou essa tendência em 2018-19, vencendo (1-0 e 2-1) os dois jogos com o clube da Invicta. Contudo, no novo Estádio da Luz, inaugurado em 25 de outubro de 2003, são os 'dragões' quem mais vezes sairam vencedores: seis triunfos contra apenas quatro das 'águias'.


O encontro entre o Benfica e o FC Porto, da terceira jornada da I Liga, está marcado para as 18 horas de sábado, no Estádio da Luz.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.