China e UE lançam programa conjunto de limpeza dos principais rios do país


 

Lusa/AO   Internacional   17 de Out de 2007, 06:14

A China e a União Europeia (UE) iniciaram uma campanha de 175 milhões de euros para limpar o Rio Amarelo e o Rio Yangtze, as maiores bacias fluviais do país, noticia hoje a imprensa oficial chinesa.
O plano, segundo a agência noticiosa oficial Nova China, prevê um conjunto "abrangente" de políticas de controlo de poluição ao longo dos rios, incluindo projectos de educação cívica para reduzir a poluição industrial, o escoamento de resíduos e adoptar medidas de irrigação que conservem a água.

    Lançado em Pequim em 2005, durante a cimeira China/UE, o programa conta com um financiamento comunitário de 25 milhões de euros, aos quais se juntam um empréstimo de 80 milhões de euros do Banco Mundial e mais 70 milhões de euros da China.

    Os maiores rios da China sofrem de níveis elevados e perigosos de poluição, depois de décadas de rápido crescimento económico sem preocupações ambientais.

    Só a degradação ecológica do rio Amarelo põe em risco o acesso a água a mais de 120 milhões de pessoas que dependem do rio para usos domésticos, industriais e agrícolas, segundo cálculos da organização ambientalista Greenpeace.

    Segundo números oficiais, cerca de metade da população da China (600 milhões de pessoas) consome água contaminada por detritos animais ou humanos e 70 por cento da água nos sete maiores sistemas hídricos do país é imprópria para contacto humano.

    As estatísticas das autoridades denunciam ainda que pelo menos 500 milhões de chineses têm acesso a menos água do que a população da Somália.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.