Centenas de pedidos de auxílio em madrugada de inundações em Cascais


 

Lusa / AO online   Nacional   19 de Nov de 2011, 12:14

Dois feridos ligeiros, 15 pessoas deslocadas para casa de familiares e amigos, 17 automobilistas resgatados do interior das viaturas e 13 estradas cortadas, é o resultado das inundações da última noite e madrugada na Parede.

O rescaldo foi feito à Lusa esta manhã pelo comandante dos Bombeiros Voluntários da Parede, no concelho de Cascais.

“Um dos feridos é uma senhora que foi arrastada pela força das águas mas que felizmente se conseguiu agarrar a umas grades. Outra mulher aleijou-se, sem gravidade, durante a operação de retirada das 200 crianças do externato Eduarda Maria, que ficou inundado”, explicou à Lusa Pedro Araújo.

“Tivemos de deslocar 15 pessoas, que ficaram com as habitações inundadas, para casas de familiares e vizinhos e resgatamos 17 condutores do interior das suas viaturas, retidos devido à forte chuva que caiu em tão curto espaço de minutos”, disse o comandante.

Segundo o operacional, o período entre as 16:45 e as 20:00 “foi muito complicado” com a intensa chuva que se fez sentir, o que originou o transbordo da Ribeira das Marianas e de mais três linhas de água, que alagaram várias zonas da Parede, provocando “inúmeros estragos e avultados prejuízos”.

As horas que se seguiram foram de muito trabalho.

“Até às 06:15 desta madrugada recebemos centenas de chamadas de auxílio por causa das inundações, o que levou ao congestionamento das nossas seis linhas telefónicas. Não conseguimos atender a todas, pois isto foi uma situação anormal”, afirmou o comandante.

As situações mais graves aconteceram no externato Eduarda Maria, de onde tiveram de ser retiradas, pelas janelas, 200 crianças, e no Clube Nacional de Ginástica, onde a água, em algumas zonas atingiu os quatro metros, destruindo praticamente tudo. Ambos os espaços, situam-se na Rua Machado dos Santos, a mais afetada na Parede.

“Havia aviso de que ia chover, mas não desta forma nem num sitio tão localizado. Acredito que, quer a meteorologia, quer a proteção civil não tivessem a capacidade de prever uma situação destas”, salientou o comandante.

Nas operações, além dos bombeiros da Parede, estiveram igualmente operacionais do concelho de Cascais e Oeiras, num total de cerca de 100 homens.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.