Ceia com quantidades " necessárias" para poupar na saúde e na bolsa

Ceia com quantidades " necessárias" para poupar na saúde e na bolsa

 

Lusa/AO Online   Nacional   24 de Dez de 2009, 18:00

A presidente da Associação Portuguesa de Nutricionistas alerta para os “exageros” nesta quadra e aconselha os portugueses a confeccionarem as quantidades “estritamente necessárias” na ceia e dia de Natal para poupar a saúde e a “bolsa”.

Na véspera de Natal, Alexandra Bento deixa algumas dicas para uma ceia “mais saudável”, como por exemplo confeccionar em casa a grande maioria dos pratos e doces.

Para poupar alguns euros, a nutricionista aconselha a fazer uma lista dos pratos e doces que vão ser confeccionados, com a respectiva lista de ingredientes, para a pessoa “comprar apenas aquilo de que necessita e não outros alimentos que poderá dispensar”.

“A grande mensagem será dizer aos portugueses para não exagerarem em termos de confecção de alimentos e na quantidade que ingerem”, diz à agência Lusa Alexandra Bento, lembrando que “é uma altura de festividade e que há sempre exageros”,

Para evitar alguns excessos alimentares, a Associação Portuguesa dos Nutricionistas desenvolveu um “e-book” com base no receituário tradicional português para o Natal, aliando a saúde ao baixo custo.

Com simples alterações às receitas originais, o e-book ensina como “elaborar pratos menos calóricos e com um custo inferior ao da receita original, mantendo a tradição do sabor, textura e apresentação”, refere a APN.

“As bolsas não são todas iguais e se há famílias que não precisam de fazer contas ao que vão colocar na sua consoada, há muitos que têm de fazer muitas contas”, comenta Alexandra Bento.

Para superar as dificuldades financeiras, a nutricionista aconselha a “tentar escolher o que é tradicional numa noite que se reveste de tradição gastronómica”.

No que respeita à ceia, Alexandra Bento sugere que os portugueses comecem com uma sopa de legumes. “Eu escolheria uma sopa com um tom avermelhado só para dar uma nota mais natalícia”, comenta.

Depois segue-se o bacalhau: se as pessoas escolherem uma posta que não seja muito grande e a acompanharem com batata, cenoura e couve penca será um “prato que não ficará muito caro”, sublinhou.

A nutricionista terminaria a ceia com fruta. “O ananás é típico nesta altura, mas também é mais caro. Então aconselho o abacaxi que é muito mais barato”.

Porque é dia de festa, os doces devem estar presentes. Mas quem se preocupa com a saúde e com o gasto, pode sempre apostar no leite-creme, aletria, arroz doce e farófias, que são sobremesas muito equilibradas a nível nutricional.

Para as pessoas que estão mais preocupados com a saúde ou têm mais receio de engordar, Alexandra Bento deixa uma proposta em relação às rabanadas: em vez de serem fritas, podem ser feitas no forno.

“Se assim for já soa a Natal”, comenta Alexandra Bento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.