Açoriano Oriental
Covid-19
Casos positivos em ambiente prisional ascendem a 363

Os serviços prisionais divulgaram esta sexta feira a existência de 363 pessoas infetadas pelo novo coronavírus entre reclusos (282), trabalhadores do quadro daquela direção-geral (70) e funcionários de empresas externas prestadoras de serviços à DGRSP (11).

Casos positivos em ambiente prisional ascendem a 363

Autor: AO Online/ Lusa

Em comunicado, a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) refere que, num universo que abrange cerca de 20.000 pessoas entre trabalhadores, reclusos e jovens internados em centros educativos, registam-se 282 reclusos infetados, 70 trabalhadores do quadro da DGRSP e 11 de trabalhadores de empresas externas prestadoras de serviços às cadeias e centros educativos.

Quanto aos casos clinicamente recuperados há a registar 93, havendo também duas crianças, filhas de reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires, clinicamente recuperadas.

Nos centros educativos para menores já não há casos ativos, segundo a DGRSP, tendo ocorrido quatro casos clinicamente recuperados do novo coronavírus que provoca a doença covid-19.

Por outro lado, o conjunto de trabalhadores clinicamente recuperados é de 115.

A DGRSP, tutelada pelo Ministério da Justiça, informa ainda que, após lhe terem sido comunicados quatro casos positivos de trabalhadores do Estabelecimento Prisional de Izeda, testou na terça e quarta-feira todos os 277 reclusos daquela cadeia e os seus 116 trabalhadores.

"Os resultados finais aos testes, permitem fazer um balanço de 10 reclusos e de 11 trabalhadores do Estabelecimento Prisional de Izeda com resultados positivos", diz a DGRSP, garantindo que em articulação com a saúde pública, todos os reclusos e trabalhadores daquela prisão voltarão a ser testados.

Segundo a DGRSP, os reclusos positivos, ainda que genericamente assintomáticos e por serem em número reduzido, foram deslocados para os serviços clínicos do Estabelecimento Prisional do Porto (EPP) que tem um espaço especificamente preparado para receber e acompanhar reclusos positivos à covid-19.

Porém, na cadeia de Izeda ficam suspensas as atividades de formação escolar e profissional e de trabalho, bem como as visitas, com exceção das dos advogados. Os reclusos manterão ainda o direito legalmente consagrado a recreio a céu aberto e a telefonar.

Quanto aos casos positivos no Estabelecimento Prisional de Lisboa (93 reclusos e seis trabalhadores) e no Estabelecimento Prisional de Guimarães (23 reclusos e 3 trabalhadores), a DGRSP assegura que se mantêm inalterados.

Paralelamente, no Estabelecimento Prisional de Tires, após a nova testagem aos casos positivos para critérios de alta, foram comunicados já 20 casos que deram negativo, pelo que, atualmente, nesta prisão feminina o número de reclusas positivas desceu para 128.

"Já negativaram também as duas crianças filhas de reclusas e três trabalhadores, fixando-se agora os casos positivos neste universo em três guardas prisionais, uma profissional de saúde e uma auxiliar de cozinha de empresa externa", precisa a DGRSP.

Nestas três cadeias mantêm-se suspensas as atividades de formação escolar e profissional e de trabalho, bem como as visitas, com exceção das dos advogados.

Os reclusos, a quem são diariamente entregues máscaras, mantêm, naturalmente, o direito legalmente consagrado a recreio a céu aberto e a telefonar.

A DGRSP, em articulação com a saúde pública e seguindo os seus planos de contingência, reitera o seu empenho "na resolução destes surtos e na salvaguarda da saúde dos reclusos e dos trabalhadores".


 
PUB
Regional Ver Mais
Cultura & Social Ver Mais
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.