Carlos César defende que saída do Reino Unido é cartão amarelo à Europa

Carlos César defende que saída do Reino Unido é cartão amarelo à Europa

 

Lusa/Ao online   Nacional   25 de Nov de 2018, 20:52

O presidente do PS, Carlos César, considerou este domingo que a saída do Reino Unido da União Europeia representa "um cartão amarelo" e defendeu urgência na adoção de reformas contra o crescimento de populismos autoritários na Europa.

Estes avisos foram deixados por Carlos César no discurso de encerramento das Jornadas Parlamentares do PS, que decorreram em Portimão.

Na sua intervenção, o líder da bancada socialista referiu-se ao acordo hoje alcançado entre os Estados-membros para a saída do Reino Unido da União Europeia, dizendo que este processo foi "complexo" e gerador de "perplexidades".

"Considerando embora o distanciamento tradicional e histórico do Reino Unidos em relação ao projeto europeu, saliento, no entanto, que a situação que vivemos é um sinal amarelo para a União Europeia e não é motivo de satisfação".

"É um motivo de interrogação sobre este projeto" completou.

De acordo com o presidente do PS, "não se pode ignorar que hoje o populismo autoritário e eurocético é atualmente a terceira força mais poderosa no contexto eleitoral europeu".

"Na reflexão que se impõe fazer, temos de nos interrogar sobre situações tão diversas como a legitimidade das decisões e modelos de decisão da União Europeia", sustentou.

Ainda de acordo com Carlos César, é preciso uma reflexão "sobre o espaço cada vez mais exíguo que, por força da globalização, é dado às identidades regionais ou nacionais".

"Temos de nos interrogar sobre em quanto contribui a crise do Estado social europeu para a fragilização deste projeto europeu. Temos de ter em consideração as desigualdades entre pessoas e territórios", acrescentou.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.