Liderança da distrital de Lisboa do PSD

Carlos Carreiras "Muito confiante" na conquista da distrital de Lisboa


 

Lusa / AO online   Nacional   25 de Out de 2007, 18:34

Carlos Carreiras manifestou-se "muito confiante" quanto à vitória na corrida pela liderança da distrital de Lisboa do PSD, garantindo reunir mais "capital de conhecimento" e mais apoios de presidentes de secção do que nas últimas eleições.
Depois de ter avançado quarta-feira à Lusa as linhas gerais da sua candidatura, que tem como lema "Lisboa Positiva" e como mandatário o ex-ministro da Saúde Arlindo Carvalho, Carlos Carreiras explicou hoje aos jornalistas que, após ter sido derrotado por duas vezes na corrida à distrital, acredita que a sua actual capacidade de conhecimento e a notoriedade alcançada com a sua prática partidária enquanto vice-presidente da Câmara de Cascais lhe permitem manter "expectativas positivas" para as eleições de 08 de Novembro.

"Nunca tive tão boas condições de vitória, tal como nunca tive o apoio de tantos presidentes de secção como agora", afirmou o candidato, garantindo reunir a simpatia de apoiantes das candidaturas de Luís Filipe Menezes e de Marques Mendes nas eleições para a liderança do PSD.

"Em termos de concelhos, acredito que Oeiras esteja dividida, mas há possibilidade de vitória da Helena Lopes da Costa [sua adversária] porque tem o apoio de Algés, a maior secção. Amadora e Sintra estão também muito divididas, com o Cacém a ser uma 'secção-canhão' da Helena", acrescentou.

O autarca acredita ainda estar em vantagem nos concelhos de Cascais, Azambuja, Odivelas, Loures, Vila Franca de Xira e Mafra e considera que a conquista de Lisboa passa por uma aposta na Assembleia Municipal de Lisboa e nos presidentes das Juntas de Freguesia da capital, "património valiosíssimo" sem "qualquer apoio" desde a saída de Carmona Rodrigues do executivo camarário.

Para o candidato, que se distinguir de Helena Lopes da Costa pela "prática e atitude", a reunião dos militantes do PSD do distrito de Lisboa e a consequente melhoria da "qualidade interna" é também uma prioridade indispensável para apresentar melhores candidatos às eleições autárquicas.

"Estou confiante em conseguir essa agregação. Tal como as pessoas mudam de atitude quando ficam doentes e ganham medos, acho que a família social-democrata já levou grandes sustos e percebeu que tem de entrar em caminhos diferentes", defendeu Carlos Carreiras, sublinhando que o partido deverá

Quanto à Câmara de Lisboa, o candidato negou qualquer possibilidade de concorrer à presidência do executivo, considerou não ser "aspiração" Carmona Rodrigues voltar a candidatar-se e afirmou que, apesar de "ser difícil", a vitória do PSD na capital não é impossível.

"Naturalmente que não haverá muitos candidatos, porque é uma batalha difícil, mas não se pode dizer que é impossível", concluiu.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.