Saúde

Cancro do pulmão mata 3000 portugueses por ano

Cancro do pulmão mata 3000 portugueses por ano

 

Lusa/AO online   Nacional   14 de Out de 2010, 11:01

O diagnóstico precoce e as medidas antitabaco são as principais formas de lutar contra o cancro do pulmão, uma doença que mata cerca de 3000 portugueses por ano e regista 3500 novos casos anuais.
A propósito do 4º Congresso Português do Cancro do Pulmão, o presidente do Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão, Fernando Barata, disse hoje à agência Lusa que a prevenção é "um trabalho a fazer por todos e não só pela comunidade médica" e o diagnóstico precoce é decisivo para a resolução do problema.

"Se apanharmos o doente numa fase precoce, que corresponde a 20 a 25 por cento dos nossos doentes, aos cinco anos estão vivos 60 por cento deles, se o apanharmos já numa fase avançada da doença, a percentagem de doentes vivos aos cinco anos não chega aos cinco por cento", explicou.

"Dos 3500 doentes diagnosticados por ano, cerca de 2800 a 3000 vêm a falecer por ano, muitos porque a maioria chega aos médicos numa fase avançada da doença", salientou Fernando Barata.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.